Descubra Quioto: a cidade dos mais de 1600 templos

Japan_Kyoto_kinkakuji

Seja muito bem vindo ao 3º episódio da série Viagem dos Tsuge’s!

E o destino de hoje é Quioto! A ideia é sempre começarmos a publicação de viagem retomando alguns assuntos importantes, como a moeda e cotação, e em seguida aprofundar e falar um pouco mais sobre a localidade do post. Pontos turísticos, curiosidades locais, transporte, alimentação e muuuita foto para tornar essa leitura uma verdadeira VIAGEM!

Relembrando

  • Moeda: A moeda nacional é o iene. Para cálculos e conversões rápidas leve em conta 100¥ = 1$.
  • Horários: O comércio costuma funcionar das 10:00 às 20:00 e pontos turísticos de 10:00 às 17:00. Abaixo vou colocar os horários específicos de cada local.
  • Sugestão de sites para pesquisas e informações: Japan-guide, Hyperdia e Organização Nacional de Turismo Japonês
  • Costumes e etiqueta: Nos templos e santuários existem alguns hábitos e tradições a serem seguidos.
    Na entrada de um santuário xintoísta temos os toriis (portais que separam o profano do sagrado) e que quando em sequência formam o Sando (caminho de aproximação). Lá tem também Temizu-sha (fonte de purificação), uma espécie de casinha com um fonte de água e umas conchas (de metal ou madeira) para você lavar as mãos e enxaguar a boca (atenção! Não é pra beber a água nem encostar a boca na concha), o intuito aqui é se livrar das impurezas. Quando você chegar em frente ao altar do santuário, vai avistar uma caixa de madeira destinada à doações. É um ritual: você deposita moedas (de valor simbólico, que ajudam na manutenção das estruturas), toca um sino (preso a uma corda), faz reverência 2 vezes, bate palma 2 vezes, faz reverência novamente e em seguida faz sua oração.
    Já num templo, para entrar deve-se tirar os sapatos. E seu ritual é acender um osenko (incenso) em um incensário, fazer sua oração e em seguida apagar a chama abanando com as mãos (você puxa a fumaça do incenso pra você, já que possui propriedades curativas).
    E como identificar se é templo ou santuário!? Pelo nome ou pela entrada! O Santuário, em geral vem acompanhado da palavra "Jinja" ou "Shrine" e também "Jingu". E ainda tem na sua entrada o Torii. Já o templo tem nome de "Temple", "-dera" ou "-ji". E na sua entrada, ao invés do torii você vai ter um Pagode (parece um torii maior e mais robusto). Veja mais dicas nas publicações anteriores:

Novidades

Kyoto_Kyomizudera

Então, direcionando ao tema de hoje >> Quioto << vamos abordar os seguintes pontos:

  • Sobre Quioto
  • Pontos Turísticos
  • Quando viajar?
  • Festivais locais

Dados da Viagem dos Tsuge’s em Quioto:

Sobre Quioto

Quioto ou Kyoto foi a capital do Japão do ano de 794 até 1868. É hoje a 7ª maior cidade com uma população de, aproximadamente, 1,4 milhões de pessoas. É também o 2º destino mais procurado para o turismo no Japão, ficando atrás apenas de Tóquio. Ao longo da história, Quioto passou por diversas guerras, mas graças ao seu valor histórico, ela foi retirada da lista de cidades alvo para as bombas atômicas durante a 2ª Guerra Mundial.

Com mais de 1.600 templos budistas, 400 santuários xintoístas, palácios e jardins, Quioto é a cidade mais bem preservada do Japão. É conhecida, também, como “Velha Capital” e “Cidade dos Samurais”.

Principais Pontos Turísticos de Quioto

Em suma, o turismo de Quioto se resume a história! Mas que história linda!!! Traz à tona toda a espiritualidade do zen budismo e também mostra a força de vontade em manter seu patrimônio histórico, que sofreu muito ao longo dos anos com as diversas guerras, mas que foi reconstruído, e hoje agrupa mais de 10 Patrimônios Mundiais reconhecidos pela UNESCO. Por isso, se você curte bastante a história japonesa, dedique mais tempo a Quioto para apreciar cada pedacinho de lá. Sugeriria de 3 a 5 dias, pra poder aproveitar bastante e não ficar correndo de um local pro outro, até porque a maioria dos templos fecha cedo.

Centro de Quioto

  • Castelo de Nijo: construído em 1603 para ser residência de Tokugawa Ieyasu, o 1º Shogun (general comandante do exército japonês) do período Edo.
    Tem audio guide disponível por ¥500
    Estação de Nijojo-mae, da linha Tonzai Subway
    08:45 às 17:00 (entrada até as 16:00)
    Não abre às 3ªs feiras de Jan, Jul, Ago e Dez. Não abre feriados nacionais e também de 26/dez a 04/jan.
    600
  • Nishiki Market: um shopping pra comprar comida fresca e também é recheado de restaurantes
    Estação de Kawaramachi ou de Karasuma, da linha Hankyu Railway
    Estação de Shijo, da linha Karasuma Subway
    09:00 às 18:00, em geral
    Algumas lojas fecham às 4ªs ou domingo
    Entrada gratuita
  • Kyoto Imperial Palace: foi a residência da família Imperial japonesa até 1868, quando o imperador e a capital se mudaram para Tóquio.
    As visitas são guiadas e têm em inglês e japonês. Hoje duram cerca de 1h e, em breve, não serão mais obrigatórias.
    A partir de agosto/2016 a forma de admissão para o Palácio Imperial de Quioto será simplificada. As informações abaixo já consideram essa mudança
    Estação Marutamachi ou Imadegawa, da linha Karasuma Subway
    08:45 às 12:00 e 13:00 às 17:00
    Não abre aos domingos e segundas
    Entrada gratuita
  • Honganji Temples: inclui o Higashi Honganji, Nishi Honganji e o Shosei-en Garden
    Para o Shosei-en garden, chegar até 30 min antes de fechar
    Estação de Kyoto, da linha JR Nara - 10 minutos andando
    Higashi - 05:50 às 17:30 (mar a out) e 06:20 às 16:30 (nov a fev)
    Nishi - 05:30 às 17:00 (nov a fev), às 17:30 (mar, abr, set e out), às 18:00 (mai a ago)
    Shosei-en: 09:00 às 16:00 (nov a fev) e às 17:00 (mar a out)
    Todos os dias
    Entrada gratuita (Higashi e Nishi) e ¥500 (Shosei-en Garden)
  • Kyoto Manga Museum: museu de mangá que foi inaugurado em 2006
    Entrada até às 17:30
    Estação de Karasuma-Oike Subway, da linha Karasuma Subway - 2 minutos andando
    10:00 às 18:00
    Não abre às 4ªs e feriados nacionais
    800

Leste de Quioto

  • Kiyomizudera: o templo de madeira foi construído encostado numa montanha e tem um deck com uma vista incrível.
    Dentro do templo tem a fonte de água Otowa, que diz trazer diversos benefícios pra quem a beber
    Diversas partes do Kiyomizudera estão em processo de restauração, então algumas partes podem estar cobertas com redes de segurança
    Estação Kiyomizu-Gojo, da linha Keihan Railway - 20 minutos andando
    nº 100 ou 206, partida na Estação de Kyoto e descida na parada Gojo-zaka ou Kiyomizu-michi
    06:00 às 18:00
    Todos os dias
    400
  • Ginkakuji: ou Templo do Pavilhão Prateado, é um templo zen budista, mas que ao contrário do que remete o nome, não foi coberto de prata, por mais que essa tenha sido a intenção.
    Tem uma lojinha de souvenir e sala de esposição
    30’ a 45’ andando de Nanzenji
    nº 5, 17 ou 100, partida na Estação de Kyoto e descida na parada GInkakuji
    08:30 às 17:00 / 09:00 às 16:00 (dez a fev)
    Todos os dias
    500
  • Higashiyama: um distrito histórico altamente preservado, com lojinhas e restaurantes ao longo do caminho.
    nº 100 ou 206, partida na Estação de Kyoto e descida na parada Gojo-zaka ou Kiyomizu-michi
    09:00 às 18:00
    Todos os dias
    Entrada gratuita
  • Kyoto National Museum: um dos mais ilustres e antigos museus do Japão.
    Tem audio guide em inglês
    Se tiver uma exposição especial (diferente da permanente) a entrada pode chegar a ¥1500
    Estação Shichijo, da linha Keihan - 5 minutos andando
    nº 100, 206 ou 208, partida na Estação de Kyoto e descida na parada Hakubutsukan-Sanjusangendo-mae
    09:30 to 17:00
    Não abre às segundas e feriados públicos
    520
  • Kodaiji Temple: construído em memória de Toyotomi Hideyoshi, um general japonês
    Você pode visitar além do Kodaiji Temple, o Kodaiji Museum e o Entokuin Temple
    nº 100 ou 206, partida na Estação de Kyoto e descida na parada Higashiyama Yasui - 5 a 10 minutos andando
    09:00 às 17:30 (Kodaiji templo)/ 09:30 às 18:00 (Museu) / 10:00 às 17:30 (Entokuin)
    Todos os dias
    ¥600 (Kodaiji templo e museu), ¥300 (somente o museu), ¥500 (somente o Entokuin) ou ¥900 (todos)

Sul de Quioto

  • Fushimi Inari Taisha: famoso pelos seus milhares de toriis (portais que geralmente estão na entrada dos templos e indicam a separação entre o profano e o sagrado) alaranjados.
    O templo termina a 233mt acima do mar com uma bela vista da cidade. Essa subida dura em torno de 1 a 2h
    Estação JR Inari, da linha JR Nara
    Sempre aberto
    Todos os dias
    Entrada gratuira
  • Tofukuji Temple: famoso pelas suas folhas no outono é um templo zen budista, com direito a um jardim de pedra
    Não é permitido fotografar em todos os locais do templo, por isso fique atento às placas de sinalização
    Estação de Tofukuji, da linha JR Nara - a 10 minutos andando
    09:00 às 16:30 (abr a out) / 08:30 às 16:30 (nov e dez) / 09:00 to 16:00 (jan a out)
    Todos os dias
    ¥400 (Tsutenkyo Bridge e Kaisando Hall) + ¥400 (Hojo e jardins)
  • Daigoji Temple: é um complexo que inclui 4 atrações o Sanboin, Shimo Daigo, Reihokan Museum e Kami Daigo. É um templo de Shingon (uma das principais escolas de Budismo no Japão) e é reconhecido como Patrimônio da Humanidade da Unesco.
    É mais indicado para ir no outono
    Entrada permitida até 30 minutos antes do fechamento
    Estação de Daigo, da linha Tozai Subway - a 15 minutos andando
    Linha Yamashina Express, partida na Estação de Kyoto (em frente ao Hotel Keihan) e descida na parada Daigoji
    09:00 às 17:00 e 09:00 às 16:00 (somente o Kami Daigo)
    Todos os dias
    ¥600 (somente 1 atração), ¥1000 (para 2 atrações, exceto o Kami Daigo) ou ¥1500 (para 3 atrações, exceto o Kami Daigo) + ¥600 (Kami Daigo, preço a parte)
  • Toji Temple: templo japonês que possui um pagode de 5 andares, além de diversos museus com exposição de artefatos históricos.
    É mais indicado ir na primavera por causa das cerejeiras no jardim
    Em alguns momentos o pagode principal é aberto para visitação interna, mas não é sempre.
    15 minutos andando da Estação de Kyoto
    Estação de Toji, da linha Kintetsu Kyoto - a 5 minutos andando
    08:30 às 17:30 / 08:30 às 16:30 (set a mar)
    Todos os dias
    500 (com visita ao pagode é ¥800)
  • Fushimi Sake District: um tradicional distrito com mais de 40 fábricas de saquê
    Ir no Otesujidori Shopping Arcade pra comprar os mais diversos tipos de saquê
    A fábrica mais tradicional da região é aberta a visita e se chama Gekkeikan Okura Sake Museum
    Estação de Chushojima, da linha Keihan - a 5 minutos andando
    10:00 às 16:00 (horário aproximado das lojas e fábricas)
    Todos os dias
    Entrada Gratuita, mas se quiser visitar a fábrica custa ¥300

Norte de Quioto

  • Kinkaku-ji Temple: um dos templos mais famosos do Japão, o Templo do Pavilhão do Dourado, tem seus 2 andares superiores coberto de folhas de ouro.
    Na hora da foto, aproveite o reflexo do lago! Fica incrível!
    Vá cedo, porque costuma lotar e tirar foto sem que ninguém apareça, vai ficando difícil
    nº 101 ou 205, partida na Estação de Kyoto e descida na parada Kinkakuji
    09:00 às 17:00
    Todos os dias
    400
  • Shugakuin Villa: construída no século XVII pelo Imperador Gomizuno, hoje é administrado pela Imperial Household Agency.
    Ir no outono para apreciar a coloração dos jardins
    Aqui você pode agendar o tour com essa agência, mas que só oferece guia em japonês
    Estação de Shugakuin, da linha Eizan Railway
    Tours guiados ocorrem às 09:00, 10:00, 11:00, 13:30 e 15:00
    Todos os dias, exceto domingo e feriados nacionais
    Reservas devem ser feitas pelo site da Agência
  • Ninnaji Temple: é o principal templo da Escola Omuro de Budismo Shingon. Um patrimônio mundial famoso pelas suas cerejeiras
    Ir na primavera, de preferência
    10 minutos andando do Ryoanji Temple
    Estação Omuro Ninnaji, da linha Keifuku Kitano
    09:00 às 17:00
    Todos os dias
    500 (na primavera aumenta pra ¥600)
  • Ryoanji Temple: é o templo do jardim de pedra, onde as pedrinhas mais finas são “penteadas” formando desenhos simétricos e contínuos.
    Vá bem cedo, aproveite o templo vazio e o silêncio para apreciar a vista
    20 minutos andando do Kinkakuji
    Linha JR Bus, partida na Estação de Kyoto e descida na parada Ryoanji
    08:00 às 17:00 (mar a nov) / 08:30 às 16:30 (dez a fev)
    Todos os dias
    500
  • Daitokuji Temple: é o maior complexo de templos no norte de Quioto. E o templo principal é da escola Daitokuji, do Zen budismo japonês. Seus principais templos são Daisenin, Ryogenin, Kotoin e Zuihoin.
    Ir no outono e aproveitar a coloração dos jardins
    Estação Kitaoji, da linha Karasuma Subway
    nº 101, 205 ou 206, partida na Estação de Kyoto e descida na parada Daitokuji-mae
    09:00 às 17:00 (Daisenin e Zuihoin) e 09:00 às 16:30 (Ryogenine e Kotoin)
    Todos os dias
    ¥350 (Ryogenin) e ¥400/cada (Daisenin, Kotoin e Zuihoin)

Oeste de Quioto

  • Arashiyama: uma vila no oeste de Quioto que é destino popular no turismo desde o período Heian (794 - 1185). Plantações de bambu, parque de macacos e alguns templos são as atrações dessa vila.
    Consultar as diversas atrações, preços e horários de funcionamento aqui
    Estação de Arashiyama, da linha JR Sagano (também conhecida como JR Sanin)
  • Kokedera: também conhecido como Saihoji, é mais um dos Patrimônios da Humanidade da Unesco em Quioto. É o templo dos musgos, com mais de 120 espécies presentes nos jardins.
    Para visitar, faça a reserva com bastante antecedência. Você tem que enviar uma carta para o templo com seu nome, nº de pessoas, endereço do ‘representante’ do grupo e a data que deseja ir. E também não esquecer de enviar juntamente o endereço para eles responderem a carta e um cartão postal de retorno já carimbado.
    O endereço para envio da carta é:
    Saihoji Temple
    56 Jingatani-cho, Matsuo
    Nishikyo-ku, Kyoto, 615-8286, Japan
    Estação de Matsuo Taisha, da linha Hankyu Arashiyama
    nº 73, partida na Estação de Kyoto via Arashiyama e descida na parada Kokedera
    Conforme acordado em carta
    Conforme acordado em carta
    3000 (pagamento feito quando for visitar)
  • Katsura Villa: é um dos melhores exemplos de arquitetura e jardinagem japoneses. Foi residência da família imperial Katsura.
    Saiba mais sobre a Vila aqui
    Tem tour guiado gratuito, mas apenas em japonês
    Estação de Katsura, da linha Hankyu Kyoto - a 15 minutos andando
    nº 33, partida na Estação de Kyoto e descida na parada Katsura Rikyu-mae
    Tours acontecem às 09:00, 10:00, 11:00, 13:30, 14:30, 15:30, e duram aproximadamente 1h
    Todos os dias, exceto domingo e feriados nacionais. Alguns sábados também podem estar indisponíveis. Consulte dias e horários com a Agência Imperial
    Entrada gratuita
  • Yoshiminedera: é um templo da escola de Tendai do budismo japonês, localizado nas montanhas do Oeste de Quioto
    De jan a fev os ônibus só vão até a parada de Koshio (perto do Jurindi Temple), que fica à 1,5 km do Yoshiminedera. Daí tem que ir andando.
    + Estação de Mukomachi, da linha JR Kyoto ou Estação Higashimuko, da linha Hankyu Kyoto - de lá pegar o ônibus Hankyu Bus #66 para Yoshiminedera
    08:00 às 17:00
    Todos os dias
    500
  • Daikakuji Temple: contruído em 800, foi o Palácio “de campo” do Imperador Saga
    Estação de JR Saga-Arashiyama, da linha JR Sagano - a 15 minutos andando ou de lá pode pegar o ônibus nº 91 em direção ao templo
    09:00 às 17:00
    Todos os dias
    500 (templo) + ¥200 (jardim e lago)

Está gostando do artigo? Então compartilhe esse post com seus amigos e vamos juntos entrar de cabeça nessa Viagem à Quioto…


Quando viajar?

Quioto é perfeito para "turistar", pois é considerado o centro cultural do Japão, com muitos templos, santuários e patrimônios mundiais. Grande parte deles, além de suas construções bem características, possuem também lindos jardins. E por conta disso, as melhores épocas do ano pra se visitar Quioto, são a primavera e o outono, pois você terá um verdadeiro festival de cores por conta das flores e árvores!

Kyoto_Kodaji

Festivais e eventos:

Mar - Hanatoro: significa em tradução literal “flores e luzes da estrada”. É um evento de iluminação com lanternas, que ocorre no distrito de Higashiyama. Próximo evento: 03 a 12 de março de 2017.

Mai - Aoi Matsuri: festival de celebração que pedia o fim de tempestades e enchentes recorrentes na época do imperador Kinmei (há 1400 anos atrás), que virou tradição e ganhou notoriedade a partir da Era Fujiwara. Próximo evento: 15 de maio de 2017.

Jul - Gion Matsuri: é o festival do Yasaka Shrine, o evento mais famoso do Japão. Próximo evento: 17 de julho de 2016.

Out - Jidai Matsuri: comemoração do aniversário de Fundação de Quioto. Próximo evento: 22 de outubro de 2016.

Dez - Hanatoro: significa em tradução literal “flores e luzes da estrada”. É um evento de iluminação com lanternas que ocorre no distrito de Arashiyama. Próximo evento: 09 a 18 de dezembro de 2016.

Dados da Viagem dos Tsuge’s

Kyoto_Ryoanji

Quioto é um local para se passar mais tempo, se você curte a história japonesa. Mas se estiver com o prazo apertado, 2 dias são suficientes para conhecer os principais pontos turísticos. Foi esse tempo que passei lá e deu pra aproveitar bastante. Mas foi tudo num ritmo beeem intenso!

É possível fazer um bate e volta de Tóquio, mas se gasta umas 2h30 de trem bala (ou shinkansen, em japonês). Então vale a pena pegar uma hospedagem, baratinha mesmo, e aproveitar mais o tempo lá. Os hostels são tops e bem em conta. Outra opção barata, reservando com antecedência, são os hotéis de cápsula!

  • 2 dias e 2 noites: 21/08/2013 a 23/08/2013
  • Bairros/destinos: Norte, leste e sul de Quioto
  • Cotação da época: USD 1 = R$ 2,26 = ¥ 94,23

    Ou seja, para se ter uma ideia rápida de valores, basta dividir o valor em iene (¥) por 100 e será aproximadamente, o valor em dólar (vou divulgar os custos com base no dólar, que é a melhor forma de você utilizar como base para sua projeção de viagem)

Quanto foi gasto?

Em Quioto, diferentemente de Tóquio, você não vai ter um mundo de opções para sair gastando grana que nem louco. Aqui, sua principal tentação serão as lembrancinhas de templos e locais visitados. Vale lembrar que perto da maioria dos templos tem ruas comerciais. E quanto mais longe do templo for a loja, mais baixos ficam os preços… Ou seja, saiu de um templo e tem uma rua comercial!? Vá até o final dela olhando os preços, que vai ver como eles diminuem! E daí dá pra economizar bem!!!

Mas, em preços médios fica assim:

  • Hospedagem/dia (hostel/cápsula): $ 25 a 35
  • Transporte/dia (leia mais abaixo): $ 10
  • Alimentação/dia: $ 30
  • Turismo ou passeios/dia (mais detalhes acima, em ‘Pontos Turísticos’): $ 20
  • Compras/dia: $ 65 (somente com lembrancinhas e 100¥ Shop - lojinhas estilo 1,99 mas com coisas que valem a pena)

Para os 2 dias que fiquei em Quioto, o total gasto foi, em R$:

  • Hospedagem: R$ 117,03 sendo 1 dia em hotel de cápsula e 1 dia em hostel.
  • Transporte: apenas R$ 43,22 porque fiz a maioria dos trajetos a pé. Se anda bem, mas é bom pra conhecer os locais. Nos caminhos tem muito ponto turístico. Só usei tranporte quando tinha que ir de uma região para outra e também pra ir e voltar de Quioto. Nesse último caso, eu usei o JR Pass Leia mais sobre JR Pass em: Japão Tradição e Inovação – Uma viagem para a Terra do Sol Nascente.
  • Alimentação: R$ 146,87
  • Passeios (entradas em parques, templos, jardins, …): R$ 90,76
  • Compras (lembrancinhas dos templos): R$ 302,25

Alimentação

Kyoto_Toji

Comer no Japão é bem fácil, gostoso e até mesmo barato. Em Quioto não é diferente, então seguem algumas dicas e sugestões:

  • Tem dois restaurantes bem curiosos que se chamam Sweets of Ninja e o Ninja Kyoto. Em ambos o atendimento é feita por ninjas!!! Hahhahaha! No primeiro, você paga por tempo =O siiim. Coma o quanto quiser em 90 min e pague em torno de 16-20 USD (bebida não alcoólica liberada). No segundo, você pode escolher aquelas salinhas privativas e o custo gira em torno de 15 a 35 USD, com direito a performances ninjas na hora de servir. Ambos ficam perto da Kawaramachi Station.
  • Se for no verão, aproveite e coma bastante sorvete de raspadinha de gelo! Uma delícia, resfrescante e baratinho… de 2 a 3 USD
  • Fuja um pouco dos restaurantes, experimente e economize com os Ekibens (bentôs ou marmita), refeições e lanches do 7-eleven (bom, bonito e barato) e também bentô de mercado (à noite costuma rolar promoção)
  • Tem uma cafeteria muito legal perto do Khaosan Guesthouse (leia mais abaixo), chamada Promenade Café. Além das tentações gustativas, estava tocando Garota de Ipanema, em português, me senti em casa! hahahah

Hospedagem

Eu cheguei em Quioto no dia 21/08. Saí de Nikko e fui direto pra lá. Já tinha feito uma reserva antecipada no 9 Hours Capsule Hotel! Eu indico sempre hotel de cápsula. O serviço é sempre muito bom, os dormitórios silenciosos e muito confortáveis, por mais que sejam cápsulas. O preço dele varia bem se você reservar com antecedência ou não. Eu paguei o equivalente a uns 27 USD, mas se deixar pra pagar na hora, pode chegar até uns 40 USD. O esquema do 9 Hours é um pouco diferente de um hotel comum, seu nome está totalmente relacionado a seu serviço. Após o check-in no hotel você pode usufruir de lá por exatas 9 horas. Como segue a cartilha de orientação deles:

Kyoto_Ninehours

Já no dia 22/08, fui para um Guesthouse, estilo hostel, bem interessante. Aqueles estilo jovial, muita galera de mochilão e é quase ao lado do 9 hours. Se chama Khaosan Guesthouse, tinha sala de estar, computador disponível, além de um saguão bem despojado. O preço foi de 25 USD a diária. Em ambos você pode deixar a mala e voltar pra pegar no fim do dia, mesmo após o check-out.

Transporte

Pra chegar em Quioto você tem 3 opções:

  • Acesso pelo Aeroporto Internacional de Kansai e de lá você pega o JR Express Haruka, que demora uns 75 minutos até Quioto.
  • Acesso pela JR Kyoto Station via Shinkansen (ou trem bala): 15 min de Osaka, 45 minutos de Nara e 2h20 de Tóquio.
  • Ou ainda pegar um ônibus ou trem, dependendo de onde estiver. Dica: consulte o site Hyperdia para saber o melhor trajeto, tanto por tempo gasto quanto por preço.

Já para circular dentro de Quioto as opções são:

  • Andando: por mais que as distâncias no mapa pareçam pequenas, não se engane! Não é um passeio no parque. Também não é nada tão longe que seja impossível ir andando, mas no fim do dia o cansaço vai imperar!
  • Outra opção para atravessar as regiões de Quioto, é o ônibus.Ele tem horário e ponto certo pra parar, tudo muito bem sinalizado. Mas vale a pena pedir ajuda pra qualquer japa, porque mesmo que ele não fale inglês, vai fazer de tudo pra te ajudar… Até te levar ao ponto certo… Cada viagem custa ¥230, mas tem um cartão free pass diário que sai bem mais em conta
    • Kyoto City Bus One Day Pass: você pode andar o dia todo de ônibus por apenas ¥500 dentro da cidade (existe uma demarcação até onde pode usá-lo);
    • Kyoto Sightseeing One and Two day Pass: esse pode ser pra 1 ou 2 dias, e ele engloba passe livre tanto pra ônibus quanto pra metrô (exceto trens). O de 1 dia custa ¥1.200 e o de 2 dias ¥2.000.

Veja o mapa de ônibus de Quioto Aqui (Versão em Inglês)

  • Uma opção um pouco mais cara e mais turística é uma espécie de táxi humano (jinriquixá ou rickshaw). Com limite para 2 passageiros, os japas super atléticos te carregam de um ponto a outro correndo e puxando o carrinho. Eles são bem insistentes em tentar te vender um passeio com eles, mas nada se compara aos tuk-tuks da Tailândia rs..
Japão_Kyoto_Transporte
  • Ainda é possível se deslocar nos trens urbanos e metrô. As estações são bem sinalizadas e em inglês. Mas se a ideia é apreciar a cidade, porque se enfurnar debaixo da terra ou num vagão onde você mal consegue apreciar a vista né?!

Veja o mapa de trem e metrô de Quioto Aqui (Versão em Inglês)

  • E por fim, é comum também alugar uma bicicleta e rodar a cidade, já que é um meio de transporte muito popular nessa cidade.
  • Locais visitados

    Foram apenas 2 dias e 2 noites em Quioto, então aproveitei ao máximo, andei muito, acordei cedo e mesmo assim foi corrido, segue abaixo o roteiro:

    1ª noite (21/08/2013): Chegada a noite em Quioto

    O dia 21 em si, eu passei turistando em Nikko e de lá saí direto pra Quioto, só pra chegar e já dormir, já que os pontos turísticos funcionam mais pela manhã e início da tarde. Quando escolhi as hospedagens, quis dar uma variada nos estilos e experimentar de tudo um pouco. Então pra Quioto, reservei um Hotel de Cápsula, o 9 Hours Capsule Hotel. É interessante o esquema de atendimento e a maneira como é tudo bem metódico. Da hora que você entra, pega seu ‘suripa’ (aquelas pantufas), deixa seu sapato na entrada do hotel, faz check-in, recebe as chaves do seu armário e rumo ao banheiro. Lá já vai ter tudo separado no seu armário, inclusive o pijama! E a sensação é que você está naquele filme “A Ilha” (com Ewan McGregor), que geral vesta a mesma roupa, homem num andar, mulher no outro, e depois do banho tomado, você vai pra sua cápsula dormir. E tem várias regras de silêncio, luz e uso de celular no quarto das cápsulas. Mas de fato, é um ambiente bem calmo e você dorme como um bebê!

    1º dia (22/08/2013): Do Norte ao Leste de Quioto

    Não vou te enganar não, mas esse primeiro dia foi assim, insano! De tanto lugar, de tanto andar e de tanto comprar.. Foram muitas lembrancinhas dos templos!!!
    Comecei o dia pelo Ryoanji Temple, pois é bem recomendado que você vá lá pela manhã, o mais cedo que der, pra aproveitar o espírito zen do local em silêncio! Ele é famoso pelo seu jardim de pedra e rocha, onde as pedrinhas são “penteadas” em desenhos simétricos. Aquele lugar que você simplesmente senta e aprecia. A calmaria interna é incrível. Além do jardim de pedra ele tem um lago bem bonito também.
    Saindo de lá fui para o espetacular Kinkakuji Temple ou Templo do Pavilhão Dourado, que recebeu esse nome por ter seus dois andares de cima revestido de folhas de ouro. Com um lago na frente, que reflete todo esse esplendor, a cena é de tirar o fôlego.
    O 3º destino foi o Ginkakuji ou Templo do Pavilhão Prateado, e pra chegar lá é preciso pegar um ônibus pois é um chãozinho (veja como fiz baixando o Roteiro!). A ideia era que o Pavilhão Prateado, fosse revestido de Prata, mas isso de fato, nunca ocorreu. Depois de apreciar o Pavilhão Dourado, ver o Prateado chega ser até um pouco frustrante, pois a arquitetura dele não encanta tanto. Mas vale a visita, porque o complexo (jardim, museu e templo) como um todo é bem legal. No museu tem uma lojinha de souvenier incrível e quando eu fui estava tendo apresentação de Cerimônia do Chá! Vai que você dá sorte e pega isso lá também!?
    Logo na saída do Ginkakuji, está o Philosophers Path, um caminho super gracinha, com lindos jardins e muito bem conservado que te leva em direção aos demais templos do lado Oeste! E a caminho do Kodaiji, me deparei com um Buda enooooorme! É o templo chamado Ryozen, também conhecido como Great Budha. Não resisti, de tamanha curiosidade, e tive que ir lá ver com meus próprios olhos, bem de perto. E ele é realmente enorme. Tão grande que você pode entrar dentro da cabeça dele e apreciar a exposição dos signos do zodíaco chinês. Saindo de lá fui pro Kodaiji Temple. Lá você tem de tudo! Além do templo muito bem preservado, tem também um jardim de pedra, uma jardim japonês e um bambuzal lindo que rende muitas fotos típicas de filme de Samurai! Você pode comprar o passe só pro Kodaiji ou aproveitar também e comprar do Entokuin. Enquanto o Kodaiji foi contruído em memória de Toyotomi Hideyoshi (um general muito famoso na história do Japão), o Entokuin foi construído para sua mulher, Nene, (conhecida como Kitano Mandokoro) passar o resto da vida lá.
    Continuei o tour em direção ao Kiyomizudera, dando uma passadinha pela Higashiyama District, que tem umas ruas estilo tradicional com lojinhas. O Kiyomizudera é um dos top locais de Quioto. É um templo de madeira famoso pelo seu deck, de onde se tem uma linda vista de Quioto pelo alto. Seu nome significa literalmente “Templo da Água Pura”, pois lá tem uma nascente denominada Otowa Waterfall, onde as pessoas bebem a água em busca de longevidade, sucesso nos estudos e vida amorosa e feliz.
    Feito isso fui pro meu destino final. Na verdade 2 em 1. O Yasaka Shrine é basicamente a porta de entrada para o Murayama Park. Deixei os dois por último pois eles não fecham. Então você pode ir lá de madrugada que estarão disponíveis para visitas! Hahaha! O Yasaka Shrine é famoso por ser sede do evento Gion Matsuri. O Murayama Park é o destino para quem quer ver o floreio das cerejeiras na primavera!
    Fim do dia… - UFA! - passei no 9 hours Capsule, peguei minha mala e fui pro Khaosan Guesthouse. Por acaso, eram quase um do lado do outro. Não era nem 1 quadra de distância! Ainda bem porque o cansaço de andar já era extremo!

    2º dia (23/08/2013): Slow down Marina, ainda tem muita viagem pela frente!

    Agora, um pouco descansada da maratona do dia anterior, comecei a jornada um pouco mais tarde. Minha primeira parada foi o Fushimi Inari Taisha, e pra chegar lá tem que pegar um trenzinho. O deslocamento leva uns 30 min do hostel até o templo. Aquele perto meio longe… Esse santuário é marcante pelas centenas de toriis (são portais que significam a separação entre o sagrado e o profano) que formam um caminho até o topo, 233mt acima do mar. A subida pode levar de 2h a 3h de caminhada. É um show de cores e a vista lá de cima é a recompensa…

    Segunda parada, Tofukuji, um enorme templo zen budista, que possui, além dos templos, jardins japonês e rochoso, um Buda de 15 mt de altura e uma arquitetura tradicional muito linda.
    Saindo de lá, cogitei ir andando pro Toji, mas me perdi e um senhorzinho muito fofo veio me ajudar. Eu não falava japonês e ele não falava inglês, então linguagem de sinal pra lá e pra cá e ele acabou me levando no ponto e mostrando qual o ônibus e horário eu iria pegar. Então cheguei no Toji, um templo famoso pelo seu Pagode de 5 andares e um belo jardim com lagos e muitas tartaruguinhas… Há uma infinidade de esculturas expostas nos pavilhões que tem lá dentro. Ah, sem esquecer do sorvete de chá verde! (yumiii). A ideia era passar ainda no Shosei-en Garden, mas me perdi no caminho pra lá e cheguei “atrasada”. Ele fechava às 16h, mas a entrada só era permitida até às 15h30. Então, chateada, fui direto pro Higashi Honganji, um templo enooorme incrustrado no meio do Centro de Quioto. É até estranho olhar de fora, você vê um centro comercial e do nada, pááá, um templo gigante! E pra mim, a melhor parte dele foi encontrar, num de seus muros, uma placa com dizeres em português! Me senti em casa!!

    Conclusão

    Quioto é o destino perfeito pra quem quer conhecer mais a fundo a história e as tradições japonesas. Além, é claro, de admirar toda a beleza natural e arquitetônica de lá.

    Um “programa” bem turístico oferecido em Quioto é o aluguel de quimono (em japonês, Kimono), que você paga pra sair pela rua vestido como um japonês tradicional do século passado. Você paga não só pelo aluguel, mas a experiência da vestimenta de quimono tradicional, conhecido como “Kitsuke”, além de poder escolher planos que incluem penteado, sessão de fotos e ainda o plano “Furisode” (aqueles quimonos com as mangas longas - como se fossem caldas). Isso varia de 32USD a 150USD dependendo do que escolher…

    Então se seu objetivo é ter uma experiência bem oriental e tradicional, Quioto é o lugar perfeito pra isso!

    E fica ligado que nas próximas publicações, sobre Viagem dos Tsuge’s, continuaremos a falar sobre o Japão. Mas se você tá curioso sobre algum lugar especifico e quer saber logo o que aconteceu por lá, comenta aqui embaixo o nome do local que podemos trazer as informações o quanto antes. E, se você ainda não leu as publicações anteriores, não perca tempo!

    Kyoto_Murayama-Park

    Corre lá e vê os locais que visitei no Japão para poder opinar também!

    Aproveite e baixe o roteiro feito em Quioto, com todos os detalhes: pontos turísticos, horários, preços e como chegar!

    Então nos vemos no próximo destino!


    Fontes:

    Japan-guide: Kyoto
    Wikipedia: Quioto
    Price of Travel: Kyoto
    Imperial Household Agency
    Japão em Foco: Diferenças entre Templos e Santuários

    Fique Atualizado!

    Receba as novidades no nosso Blog em primeira mão!

    Marina Tsuge

    Administradora por formação, com 24 anos, descobriu na arte de escrever uma forma de compartilhar conhecimentos e incentivar mudanças.