Japão: Tradição e Inovação – Uma Viagem para a Terra do Sol Nascente

Japão_Kyoto_Purification

E foi dada a largada para a série de postagens sobre as Viagens dos Tsuge! E nada mais justo que começar falando sobre o destino que tem tudo a ver com a gente… O Japão!

Nesse novo painel do Blog vamos começar com uma introdução de cada viagem e na sequência, abriremos os destinos por localidade.

Partindo do nosso roteiro realizado, vamos dar dicas do que fazer, preços, hospedagens, passagens… E é claro, compartilhar as fotos para encantar você! Quem sabe esse não seja o pontapé inicial que estava faltando, para você conhecer esses destinos e tirá-los da caixinha dos sonhos e trazer para a Realidade!?

Então vamos começar trazendo...

Perspectiva geral do Japão:

  • O país
  • Turismo no Japão
  • Mapa
  • Quando viajar?

Dados da Viagem:

  • Sobre a viagem
  • Quanto tempo?
  • Quanto foi gasto?
  • Cotação de moedas

E ainda:

  • Alimentação, hospedagem e transporte
  • Dicas
  • Roteiro da viagem
  • Conteúdo extra: planilha com o Roteiro para você baixar! Totalmente gratuito!
Japão_Narita_Obaachan

Então, se ajeite na cadeira, pegue sua bebida e liberte a sua mente porque a viagem já vai começar!!!

Sobre o Japão

O Japão também pode ser chamado de Nippon ou Nihon (mais contemporâneo) e significa literalmente a “Origem do Sol” ou “Terra do Sol Nascente”. Por isso sua bandeira é apenas aquela bola vermelha (sol) no centro.

O Japão possui uma história riquíssima, e a que mais me encanta é a Cultura Samurai, que por mais que tenha se perdido - na sua forma mais pura - com os anos, ela ainda tem suas referências na sociedade japonesa e continua influenciando o dia a dia do seu povo.

Uma terra de contradições, onde o homem alavanca o país como potência enquanto sua geografia contribui para o oposto. Onde a sua população desenvolve as tecnologias mais avançadas sem deixar de lado as tradições de milênios. E onde podemos encontrar desde pessoas andando de quimono até pessoas vestidas de personagens de mangá! E o mais incrivel disso tudo?! É ver como eles respeitam uns aos outros, de maneira que toda essa contradição vive em plena Harmonia!

Turismo no Japão

Se você tem a impressão que viajar para o Japão é um bicho de 7 cabeças, que vai precisar saber falar ou ler o mínimo de japonês possível, ou ainda que vai ter que vender até seu cachorro para pagar os custos com a viagem, está enganado! Estamos aqui para te mostrar que é muito mais fácil e simples do que parece.

Vamos tentar mostrar tudo sobre a viagem: hospedagens, meios de transporte, alimentação, como fazer compras e dicas culturais, para você não pagar mico por lá!

Mapa do Japão: entendendo como funciona

Japão_mapa

(Foto da internet)

O Japão é dividido em 8 Regiões e 47 Províncias (ou prefeituras). Esse tipo de informação é importante na hora de montar seu roteiro, para gastar menos tempo e economizar com passagens.

Os endereços são ligeiramente complicados de entender, mas vale a pena saber, para não se perder por lá. Então vamos à lição: Um endereço é basicamente assim:

150-2345 Tokyo-to, Shibuya-ku, Hom
machi 2 choume, 4-7, Sunny Mansion 203.

  • “150-2345”: é o Código Postal
  • “Tokyo-to”: “-to” é um sufixo que identifica uma Província e equivale ao nosso ‘Estado’. O sufixo mais usual é o “-ken”, mas também temos o “-to” (somente para Tokyo), o “-fu” (para Osaka e Kyoto) e o “-do” (somente para Hokkaido)
  • “Shibuya-ku”: “-ku” identifica um distrito de uma cidade grande
  • “Hommachi”: “-machi” identifica um município pequeno. Caso seja uma vizinhança virá com o sufixo “-chō”
  • “2-chōme”: indica que é na área 2 da vizinhança
  • “4-7, Sunny Mansion 203.”: essa parte poderia simplesmente aparecer “4-7-203” ele indica “bloco-prédio-sala/apartamento”. O “Sunny Mansion” é o nome do prédio, pode aparecer ou não.

OBS: Por ser a capital, Tokyo não tem divisão de cidade, mas para os demais casos identificamos as Cidades com o sufixo: “-shi” (centros urbanos) e “-gun” (áreas rurais de uma província). As cidades (“-shi”) ainda podem ser divididas em “-cho”/”-machi”, para centros e “-mura”/-son” para vilas.

Ex.: 519-0501 Mie-ken, Ise-shi, Obata-chō, Akeno, 1061-4

Mas calma, isso não é um conhecimento imprescindível, é só para você ter uma ideia, quando for ver endereço de hospedagens, pontos turísticos e etc. Se você gosta do 'hustle and bustle' (vuco vuco) das cidades grandes, escolha os “shi/cho/machi”.

Quando Viajar para o Japão?

Japão_estações-do-ano

(Foto da Internet)

Isso vai depender muito de qual é sua grande paixão por lá.

Cada estação tem sua particularidade e beleza. Eu escolhi o Verão, porque queria escalar o Monte Fuji. E essa é a única época do ano em que é liberado subir a montanha.

  • Inverno (dez-fev): para quem curte esportes de inverno e quer pegar uma neve por lá.
  • Primavera (mar-mai): famosa pelo floreio das Cerejeiras, conhecido também como Sakura, é a época de alta temporada.
  • Verão (jun-ago): é a estação dos festivais, com diversos eventos e também a temporada de escalada do Monte Fuji (ou Fuji San). E sim, faz calor no verão do Japão!
  • Outono (set-nov): a estação em que a temperatura é mais agradável, sem chuvas e também é quando as árvores ficam avermelhadas e bem coloridas!

Viagem dos Tsuge ao Japão

Como eu disse, escolhi a época da viagem de acordo com a temporada da escalada do Fuji-san.

  • 23 dias: de 16/08/2013 a 08/09/2013, sendo 21 dias de viagem.
  • 5 regiões: Kanto, Kansai, Chubu, Chugoku e Kyushu.
  • 11 províncias: Tokyo, Kyoto, Kanagawa (Yokohama e Monste Fuji), Hiroshima, Nagasaki, Kumamoto, Shizuoka, Nara, Osaka, Mie (Ise) e Tochigi (Nikko).
  • Cotação da época: USD 1 = R$ 2,26 = ¥ 94,23
    Ou seja, para se ter uma ideia rápida de valores, basta dividir o valor em iene (¥) por 100 e será aproximadamente o valor em dólar (vou divulgar os custos em dólar, que é a melhor forma de você utilizar como base para sua projeção de viagem, pois não sofre tanta influência de cotação ao comparar as épocas).

E quanto Custa ir pro Japão?

Bom, é claro que o custo de uma viagem, para qualquer lugar do mundo, vai depender muito do seu perfil. Se é mochileiro, meio termo ou se é daqueles que adora esbanjar e comprar tudo que vê pela frente!

O maior custo de uma viagem pro Japão, nitidamente é a passagem de ida e volta, afinal a gente percorre meio mundo para chegar lá né!? Mas se comprar com antecedência pode achar por um preço legal.

Em preços médios fica assim:

  • Passagem (RIO - NRT): $1.100
  • Hospedagem/dia (hostel/ryokan): $ 25 a 65
  • Transporte/dia (leia mais abaixo, para entender melhor, pois pode variar muito): $ 28
  • Alimentação/dia: $25 a 45
  • Turismo ou passeios/dia: $30
  • Compras: aqui não tem como se ter uma média, mas se você curte eletrônicos, vale a pena guardar uma grana para gastar lá. Os preços são bem convidativos.

Para a minha viagem, de 21 dias, rodando como rodei, o total gasto foi, em R$:

  • Passagem (RIO - NRT): R$ 3.806,64
  • Hospedagem (vale ressaltar que economizei bastante por ter família lá, só fiquei em hostel por 6 noites): R$ 493,46
  • Transporte: R$ 297,83
  • JR Pass: R$ 1.086,90 (14 dias de passe livre pelas linhas da Japan Rail, incluindo trens bala)
  • Alimentação: R$ 946,74
  • Passeios (entradas em parques, templos, jardins, …): R$ 1.030,91
  • Aluguel de celular: R$ 625,19 (esse doeu! mas não tinha como ficar incomunicável, andando sozinha num país que eu não sabia a língua)
  • Eletrônicos (note híbrido pc + tablet e um celular): R$ 4.448,53
  • Compras (esbanjei aqui, confesso. Acho que se fosse hoje, não teria gasto nem a metade): R$ 5.992,96
  • Total Real: R$ 18.729,16
  • Total necessário gasto na viagem: R$ 7.662,48
  • Total dispensável gasto na viagem (compras): R$ 11.066,68

Comendo no Japão

Japão_Comidas

Esse tema é simplesmente delicioso de se falar! Comer lá nem de perto se parece com o que comemos aqui em restaurantes ‘japoneses’! O peixe cru é um alimento típico de lá, mas não é a comida do dia a dia. Se compararmos com o Brasil, é como se nossa comida cotidiana fosse o churrasco. E não é bem assim né?! Hahaha!

Lá é bem fácil escolher o que comer, pois os restaurantes têm uma vitrine de comidas de porcelana, que imitam o prato original. Então se não entendeu o cardápio, fique tranquilo, é só levar o atendente até a vitrine e mostrar o que você quer.

Japão_Vitrine_Comida_Chinatown

Eles não tem o hábito do restaurante self service. E deixar comida no prato é falta de educação, então, coma tudo!

A comida é relativamente barata. Você come um lámen com carne por uns 5 USD. Os pratos mais comuns envolvem arroz ou macarrão. E a carne pode ser bovina  (será carne processada, tipo hambúrguer), suína ou peixe. O frango em geral também é processado e não é tão comum.

Nos mercados eles vendem refeições prontas, chamadas de “bentô”, que seria a nossa “marmita”. E todos os dias à noite, rola promoção das comidas que vencem no dia seguinte! Fica tudo uma pechincha!!

E ahhhh! Grande parte dos restaurantes te dão, gratuitamente, água e chá! Muito bom né?!

Já ia me esquecendo da melhor coisa do Japão: as máquinas, de tudo.. De bebidas, de café, de sorvete, de biscoito, enfim de tudo. Você põe o dinheiro, escolhe o que quer, ela te dá o produto e o troco! E tem em tudo quanto é esquina!

Japão_Maquinas

Transporte no Japão

A rede de transporte no Japão é incrível! Táxis, metrôs, trens, rail links, trens bala (ou shinkansen) e ônibus. E nas estações é bem comum ter locker para bolsas e malas! Bem prático!

Japão_Locker-metro

Horário lá é uma coisa quase sagrada! Os trens e metrôs anunciam e pedem desculpa por atrasos de segundos!

Para táxis não é comum dar gorjeta e nem deixar o troco (os japoneses não têm o hábito de dar gorjeta, nem em restaurantes, nem em compras). Aliás, você irá reparar que eles andam de luva branca! E o dinheiro, nunca dê diretamente para o motorista. Tem uma espécie de pratinho, ao lado dele (perto do freio de mão), você coloca o dinheiro lá, ele pega, e coloca seu troco no mesmo pratinho para você pegar também.

Nos ônibus, a questão do horário não é tão rígida (pros padrões deles), mas têm hora para passar (tabela com horários em cada ponto). A passagem pode ser cobrada por percurso ou preço fixo (depende da cidade). Uma dica, é comprar o ‘Suica Card’ (tipo Riocard) assim que chegar lá. Você usa em tudo quanto é lugar. Nos transportes que cobram por percurso, você passa no leitor quando entra e quando sai, e ele debita o valor referente.

Se você não tiver o cartão, terá que pagar com dinheiro. E aí complica. Você tem que pegar um papel (tipo senha de espera) na entrada. Lá vai estar o número do ponto que você pegou. E tem uma placa em cima do motorista que diz quanto é para quem pegou no ponto “X”. Daí quando você for descer, você deposita esse valor na máquina (foto abaixo) e ela conta para você. Mas se seu dinheiro não estiver trocado, não deposite, pois ela não dá troco. Você tem que inserir a nota a ser trocada na parte da frente da máquina e ela te devolvera o mesmo valor só que tudo em moedas. E daí você deposita o valor certo! Não esquece!

Japão_Transporte
Japão_Hostel

Sugiro também que você experimente, pelo menos uma noite, o Hotel de Cápsula. É bem legal!

Japão_Capsula-Hotel

E por fim, experimente os ryokans, para ter uma experiência realmente autêntica. Eles são um pouco mais caro, mas é bem legal! Você tem banho compartilhado com hot shower (nesse item, fique atento porque o banho pode ser separado por sexo ou não hahaha), a cama não existe, você dorme num futon e o chão do quarto é de palha. Além do café da manhã tradicional: sopa, arroz, peixe, chá, …

Japão_Ryokan

Média de preço/dia (em dólar):

  • Hostel: USD 25
  • Cápsula: USD 30 (se reservar com antecedência, caso contrário sobe para uns USD 40)
  • Ryokan: USD 53 (com café tradicional: USD 67)

Dicas

Além das dicas ao longo do texto, vale destacar:

Passaporte e visto:

Exitem diversos tipos de visto para o Japão. O mais comum é o visto de turismo de entrada única. Para isso só é preciso:

  • Passaporte válido
  • Formulário de Pedido de Visto para entrar no Japão
  • Uma foto 3 x 4cm (nítida, recente e fundo branco)
  • Passagem (original e cópia) ou print da reserva
  • Cronograma da viagem
  • Comprovante de renda (original e cópia)

Moeda:

A moeda no Japão é o iene. A cotação gira em torno de 100¥ = 1$.

Existem moedas de 1, 5, 10, 50, 100 e 500 ienes. E notas de 1.000, 2.000, 5.000 e 10.000 ienes.

Só para ter ideia de valoração, uma água custa uns ¥110 (+/- USD 1,1). Uma diária num hostel ¥2.500..

Para trocar dinheiro lá, uma sugestão que dou é levar tudo em dólar. E troque lá, no aeroporto mesmo (a cotação não é tão ruim como de costume). Como é um país muito seguro, não precisa ficar levando grana em cartões, que vão cobrar um bom % para cada utilização ou saque. Eu levei tudo em dinheiro vivo.

Informações Extras:

Japão_Banheiros
  • Vacinas: não é necessário nenhum tipo de vacina.
  • Tomada: a voltagem comum é 100V. Mas em hotéis costumam ter 100 e 220V. E a tomada é a de pino reto.
  • Takkyubin: é um serviço de entrega, tipo correios, mas muuuito melhor. Nele, você pode simplesmente comprar coisas, e despachar para seu hotel/casa. Ou ainda, se você está viajando de trem e vai passar por mais de uma cidade, pode enviar as suas bagagens diretamente para o destino final, visando maior comodidade e segurança. Eu por exemplo, aproveitei o último dia passeando já que meu vôo era só a tarde. Para isso,  no dia anterior chamei o Takkyubin e pedi que levassem minha mala para o aeroporto. E, lindo, na partida foi só buscar na loja deles dentro do aeroporto mesmo! Não há violação e nem extravio.
  • Lojas costumam funcionar das 10:00 às 20:00 - O mais legal de tudo é que existem lojas chamadas “Hyakuen Shop”. ‘hyakuen’ significa ¥100. Então imagina a festa que você não vai fazer?! Grande parte dos produtos custam ¥100 (com imposto fica ¥105), e o que não for ¥100 vai estar com preço na placa ou no produto.
  • Pontos turísticos costumam funcionar das 10:00 às 17:00
  • A água da torneira é potável.
  • Banheiros existem 2 tipos: o western style (como o nosso) e o japanese style (no chão; um buraco no chão). Então não se assuste, basta ir no primeiro tipo, que é comum hoje em dia. (FOTOS)
  • Telefones: A má notícia é que a tecnologia GSM daqui não é compatível com a rede de lá. Então não dá para comprar um chip de lá e colocar no seu celular. Você tem que alugar e é bem carinho. E também nem adianta tentar comprar um celular de lá e fazer um plano pré-pago. Para comprar celular com plano, você tem que ter conta bancária e endereço no Japão. So, forget it! É melhor alugar mesmo e ponto. Porque acaba sendo bem necessário utilizar o google maps, mesmo que você seja um expert em mapas! Eu aluguei no aeroporto, na Telecomsquare. A boa notícia é que a rede é maravilhosa e você fala até do topo do Monte Fuji.
  • OBS.: Então se está pensando em comprar um celular para você por lá, fica ligado!! Ressalta que tem que ser GSM! Só algumas lojas em Akihabara (o bairro dos eletrônicos) vendem esse tipo de celular.

 

Sugestão de sites:

Sugiro alguns sites que vão trazer informações atualizadas sobre o turismo. São eles:

 

Roteiro da Viagem

  • Tóquio ou Tokyo: tem um pouco de tudo. Como toda grande metrópole, existe um caos. Mas no Japão, até o caos parece ser mais tranquilo. Hahaha!
    • Quantos dias? De 3 a 5 dias, eu fiquei lá 4 dias.
    • O que fazer? Eletrônicos em Akihabara, pôr do sol no Tokyo Skytree, compras em Ameyayokocho, ver o cruzamento mais famoso do Japão em Shibuya, comer no Mercado de Peixe (Tsukiji Market), Museu de história natural e zoo de Ueno…
  • Quioto ou Kyoto: antiga capital do Japão, é o centro histórico do país. Repleto de templos e ruas estreitas, lá é comum ver pessoas andando de quimono pela rua. Fofo!
    • Quantos dias? Eu passei apenas 2, mas sugiro de 3 a 5 dias
    • O que fazer? Kinkakuji ou pavilhão dourado, Fushimi Inari Taisha, Ryoanji Temple pela manhã, caminhada pelo Philosopher’s Path, pôr do sol no Kiyomizudera..
  • Yokohama: tão perto de Tokyo que dá para fazer um bate e volta. É uma cidade bem moderna e é onde tem a maior Chinatown do Japão.
    • Quantos dias? 2 dias
    • O que fazer? Compras em Chinatown, comida no Ramen Museum, relaxar no Sankei-en garden, ver tecnologias no Mitsubishi Museum, pôr do sol no Marine Tower, diversão no CosmoWorld...
  • Nikko: uma gracinha de local, dá pra ir e voltar no mesmo dia. É de lá que surgiram os 3 macacos sábios (não vê, não escuta e não fala), que significam “see no evil, hear no evil, speak no evil”
    • Quantos dias? 1 dia
    • O que fazer? Apreciar a beleza arquitetônica da Tamozawa Villa, os macaquinhos do Toshogu Shrine, o Shoyoen Garden, o Shinkyo Bridge…
  • Shizuoka: fui visitar a família, não sei muito bem o que falar do local, mas fui na praia de Miho (tem vista pro Monte Fuji), os restaurantes esteirinha são mto bons e lá é a terra do Wasabi!
    • Quantos dias? Passei 2 dias
    • O que fazer? Compras no shopping (é promoção em cima de promoção), ir num Karaoke Bar! Praia de Miho...
  • Kumamoto: ao sul do Japão possui um vulcão ativo bem famoso, o Monte Aso. Foi o local que tive maior difuiculdade para  encontrar pessoas que falassem inglês.
    • Quantos dias? 1 dia
    • O que fazer? Visitar o grandioso Kumamoto Castle, o Suizenji Park e aproveitar a bela vista da viagem (que é longa! são mais de 6h de Tokyo, isso pegando o trem bala)
  • Nagasaki: famosa por ter sido o segundo alvo de bomba atômica no Japão durante a 2ª Guerra Mundial, hoje totalmente reconstruída, emana paz por onde se anda.
    • Quantos dias? 1 dia
    • O que fazer? Ver o nascer do sol e sentir a tranquilidade do Peace Park, conhecer a história no A-bomb dome Museum, um pouco da arquitetura inglesa no Jardim Glovers, visitar o Confucious Shrine…
  • Hiroshima: famosa tanto por ser alvo da bomba atômica como também tem uma das paisagens mais fotografadas do Japão: o grande Torii, na ilha de Miyajima.
    • Quantos dias? 1 dia
    • O que fazer? Nascer do sol na Ilha de Miyajima, conhecer o verdadeiro funcionamento de uma linha de produção na fábrica da Mazda (eles chamam de Matsuda), conhecer a história no Peace Museum e Park, Castelo de Hiroshima…
  • Osaka: é uma cidade muito antiga, do período Edo. Hoje é uma das maiores cidades e mais agitadas do país.
    • Quantos dias? 1 dia
    • O que fazer? Castelo de Osaka, diversão garantida no Universal Studios, compras no Semba Center Building..
  • Nara: um cidade linda e muito calma. Com muitos parques e ‘shikas’ (veados) pedintes de sembeis (biscoitos). É um local altamente espiritualizado e berço da arte, literatura e cultura japonesa.
    • Quantos dias? 1 dia
    • O que fazer? Curtir a calmaria do Isuien Garden, passar pelo buraco da sorte dentro do Todaiji, Lanternas no Kasuga Taisha…
  • Ise: é uma cidade sagrada. Perto do seu principal santuário tem um centro comercial com ruelas antigas. Aproveitei para visitar a outra metade da família que ainda está no Japão
    • Quantos dias? 1 dia
    • O que fazer? Aproveitar algum festival (e são muitos) para conhecer o Inner Shrine, o Outer Shrine, fishspa no rio da purificação ao lado do Inner Shrine e experimentar e comprar na Oharaimachi (ótimo preço para pérolas).
  • Monte Fuji: se você for no verão, pode aproveitar e subir o monte! Pra quem gosta de corrida Up hill: Watch Out!! Estava rolando uma quando eu fui lá!
    • Quantos dias? 1 dia é possível (mas sugiro ir num dia à noite, dormir lá na 10ª parada e ver o nascer do sol lá de cima), dá pra subir em 6h e descer em 2h
    • O que fazer? Além de escalar, você pode comprar esse cajado de madeira (+/- 20USD) e a cada parada pagar pelo ‘carimbo’ na madeira e trazer de recordação! Tem uns Onsens (águas termais) na cidade de Hakone, bem perto dali.

Conclusão

Viu? Viajar para o Japão não é um sonho tão absurdo assim, né?! Como toda viagem para Ásia, o que mais pesa é a passagem de ida e volta, mas se converter os custos com alimentação, transporte e hospedagem, vai ver que custa quase o mesmo que o turismo aqui no Brasil e às vezes, até mais barato!

O único ponto fundamental que ressalto para uma Viagem Perfeita para o Japão é: respeite a cultura local! Eles são muito corretos em tudo que fazem. Então relembrando e dando os últimos toques:

Japão_Dicas-Culturais
  • Não deixe comida no prato
  • Não jogue lixo na rua
  • Não coma andando, nem dentro de ônibus e trens (apenas nos Shinkansens é comum comer, já que são viagens longas)
  • Não fale no celular andando e nem dentro dos vagões
  • É fumante? Fumar apenas nos “fumódromos” (locais fechados específicos para você fumar) ou locais onde há a placa permitindo o fumo
  • Não fale alto, as pessoas são muito discretas
  • Não beije em público. Lá namorados muito mal andam de mãos dadas
  • Vai entrar num trem/metrô? Olha a fila! E espere acabar as pessoas que estão saindo do vagão, só depois disso entre
  • Vai pagar algo? Nunca dê o dinheiro diretamente na mão das pessoas. Eles sempre têm um pratinho para você colocar o pagamento e pegar seu troco também.
  • Vai cumprimentar alguém? Faça reverência com o corpo e cabeça. Só aperte a mão, se a pessoa tomar a iniciativa para isso. Abraço e beijinho no rosto, evite!! Só se for alguém muito íntimo! 
  • No mais, eles são muito solícitos. Por mais que nem todos falem inglês, vão tentar te ajudar ao máximo! Se falar que é brasileiro então, pode apostar que vão pedir para você sambar ou jogar bola! hahahaha

Nessa série sobre viagens, vamos fazer publicações mais detalhadas sobre cada local sugerido acima. Então para não perder nenhum detalhe, assine nossa Newsletter de Viagens e receba as atualizações referentes à esse tópico:

Newsletter de Viagem dos Tsuge




Japão_Kyoto_TransporteNão perca essa viagem pela Terra do Sol Nascente!

Aproveite e baixe o roteiro com a quantidade de dias e cidades visitadas! É bem fácil e seguro! Não é spam e não divulgaremos seu email para ninguém!

O Sangue Samurai corre nas nossas veias e pode apostar, honramos nossa palavra!

Até a próxima...

 

Marina Tsuge

Administradora por formação, com 24 anos, descobriu na arte de escrever uma forma de compartilhar conhecimentos e incentivar mudanças.

  • Renata Souza

    Seu blog está me ajudando muito, viajo em março para o Japão.
    Obrigada pela ajuda!