Minha primeira parada no Japão: Yokohama! Entenda porque ela é a cidade ideal para começar essa viagem

Fala galera! E hoje é dia do nosso 7º destino da Viagem dos Tsuge pelo Japão: Yokohama! Se trata de um centro urbano no Japão que tem sua história marcada por ser uma zona portuária de grande influência no Período Edo (1603 - 1867).

yokohama - yamashita park

O meu primeiro destino no Japão foi >> Yokohama << e não é pra menos que foi o local que mais me surpreendeu em termos de choque cultural. Por isso, vamos abordar os seguintes pontos:

  • Sobre Yokohama
  • Dicas e Costumes: que baita choque cultural
  • Viagem dos Tsuge: história e diversão em Yokohama
  • Pontos turísticos: preços, horários e dias de funcionamento
  • Conclusão: de tudo um pouco!
  • Extra: Roteiro de Viagem para Yokohama!!! Gratuito para download!

Sobre Yokohama

yokohama - stadium

Yokohama é a segunda maior cidade do Japão com uma população de mais de três milhões de habitantes. De trem, fica a menos de 30 min de Tóquio e é onde se localiza uma das maiores Chinatowns do mundo.

Com o fim do Período Edo, o porto de Yokohama foi um dos primeiros a se abrir ao comércio exterior em 1859. Consequentemente, Yokohama cresceu rapidamente, deixando de ser uma pequena vila de pescadores e transformando-se em uma das principais cidades do Japão.

Dicas de Costumes e etiqueta

Como você vem acompanhando, a cada publicação de viagem, eu trago algum ponto cultural ou curioso sobre como funciona o Japão. E Yokohama, por ter sido meu 1º destino, foi de longe o local onde mais vi cenas curiosas e até mesmo estranhas.

yokohama - maquinas curiosidade
  • Por todos os cantos do Japão é comum encontrar vending machines espalhadas pela rua. Bebidas, sorvetes, cafés, biscoitos, cigarros, bebidas alcoólicas, chás… É possível comprar de tudo nelas! E nem precisa comprar ficha ou estar com o dinheiro trocadinho. Pois até trocar o dinheiro pra você, ela troca. Existem 2 entradas na máquina, uma de troca de dinheiro e uma de pagamento. Se quer trocar, basta colocar a grana lá e ela te devolve tudo em moedas. Se quer comprar, basta depositar o valor do que quer consumir que ela vai “piscar” os itens que estão disponíveis para você, de acordo com o valor depositado.
yokohama - banheiro curiosidade sanitário
  • Os banheiros das casas são bem diferentes dos nossos. O vaso sanitário é suuuper high tech. Você aperta um botão e sai água pra te limpar (rs), água quente, água gelada, pode aumentar a pressão, mais pra frente, mais pra trás… e por aí vai. E pra quem tem vergonha de fazer o nº 2, achando que alguém vai escutar algo, eles também pensaram nisso. Você pode ativar o “som de descarga” que vai ficar tocando até você desligar! A técnica de abrir o chuveiro lá não dá certo, porque o sanitário e o chuveiro ficam em cômodos separados.
yokohama - café curiosidade
  • Tomar café gelado é bastante normal. E a variedade de cafés é absurda. Café com leite, puro, forte, fraco, adoçado ou não, com creme, com chá, sem cafeína, com TAPIOCA!  Cara, tem de tudo lá e são muito gostosos. A cada dia eu experimentava um diferente. Esse aí da foto, foi o primeiro que tomei, Eles vendem que nem toddynho, gelado, com canudinho e tudo. Ah! Esse pãozinho embalado aí, é um cheese cake!
yokohama - esquina espelho curiosidade
  • Nas esquinas dos bairros de “interior” (cidades dormitório, próximas à Tóquio, como Saitama), é comum ver espelhos nos cruzamentos. Tudo com o objetivo de auxiliar o motorista na direção segura, dando visibilidade para ele ver se tem carro vindo ou não na sua direção.
yokohama - escada rolante
  • Nas escadas rolantes, quem não está com pressa, fica à esquerda; quem está, sobe pela direita. Nunca, jamais, pare do lado direito!
yokohama - banheiro curiosidade
  • O chuveiro também é diferente. Na verdade o banheiro é todo diferente. A pia fica numa área aberta, sem porta. O sanitário, num cômodo só pra isso e o chuveiro em outro (obs: isso pra casas tradicionais). Algumas casas mais ocidentalizadas, já tem o banheiro todo conjugado, como os nossos. A área de banho, geralmente tem um ofurô (banheira) e um chuveiro que, diferentemente do nosso, não é alto e fixo. Ele parece mais uma duchinha de banheiro, que tem um suporte na altura da nossa cintura. Isso porque, em geral, também existe um banquinho plástico, onde se senta pra tomar banho!
yokohama - seikeien garden porta guarda-chuva
  • Em alguns locais como lojas, museus e afins, você vai ver um “porta guarda-chuvas” na entrada. É um suporte com locker (cadeado) onde você trava o seu guarda-chuva e leva a chave com você. Quando for embora é só deixar a chave no cadeado e pegar seu guarda-chuva.
yokohama - pão curiosidade
  • O pão de forma é uma delícia! E enooorme e, por isso, só comemos uma fatia. Não é como aqui que um sanduíche é formado por 2 fatias. Lá você coloca o recheio em cima e voilá. Um fato bem interessante é que a maioria dos padeiros japoneses, vai pra França aprender a fazer pão. Padaria é loja de luxo no Japão, algo bem requintado, uma grande variedade e tudo delicioso. Aliás, o nome desse pão de forma é shokupan.
yokohama - casa obaachan curiosidade
  • Mais uma vez volto ao tema Segurança, porque o Japão é realmente um ponto fora da curva. As casas são assim, muro baixo, sem cadeados ou portões trancados! Nada é roubado, invadido ou depredado. As ruas e casas são sempre bem cuidadas. Na ideia do coletivo mesmo, cada um faz o seu para todos viverem melhor! Encantador!
yokohama - fumodromo curiosidade
  • Já falei anteriormente sobre como os japoneses fumam muiitooo e também como respeitam quem não fuma. Por isso, é comum ver nas áreas mais movimentadas o que chamei de fumódromo. Um aquário para as pessoas fumarem lá dentro. Quando ficam na rua, eles possuem apenas as paredes de vidro em volta e o teto é aberto. Mas vi alguns que são totalmente fechados, dentro de prédios e estações. Não sei como as pessoas conseguem ficar ali dentro, só pra fumar. Você olha de fora e vê uma névoa branca com gente fumando. Mesmo tendo exaustor nessas salas, não dá vazão, de tanto cigarro que é queimado ao mesmo tempo. Ruim pro fumante, que fica defumado e excelente pra gente, que não precisa fumar!
yokohama - seikeien garden japas simpaticas
  • A simpatia do povo japonês é um assunto que roda o mundo e comigo não foi diferente. Estava eu perdida em Yokohama e três japonesas que caminhavam/corriam, me viram com cara de pânico, olhando o mapa, totalmente sem ideia de onde ir pra chegar no Sankeien Garden. E elas, simplesmente, perguntaram se eu queria ajuda, e me levaram até o jardim. E vale ressaltar que não era o caminho delas. Elas pararam a corrida pra me levar até lá! Minha sorte é que uma delas já havia morado no Canadá, então falava inglês direitinho! Ô sorte!
yokohama - chinatown loja
  • Nessas Olimpíadas ouvimos falar do Omotenashi, a tão famosa hospitalidade japonesa, já que a próxima olimpíada vai ser em Tóquio. Minha primeira experiência de ometanashi, foi em Yokohama! Na verdade, eu não estava entendendo nada. Fiquei até na dúvida se era coisa de japonês mesmo ou de chinês, porque presenciei isso na Chinatown de Yokohama. Entrei na loja e os vendedores começaram a “gritar” (seria mais um falar em voz alta): “Irashaimasseeee”. E ficavam repetindo isso, incansavelmente, enquanto o cliente estava na loja. O detalhe é que eles nem olhavam pra mim ou pra alguém. Continuavam trabalhando e falando o tal do irashaimasse. O significado dessa expressão?! “Seja bem-vindo”. Os vendedores, diferentemente do Brasil, te deixam super à vontade na loja, não ficam em cima, nem tentam te empurrar nada. Depois que você faz a compra eles gritam “Arigatô Gozaimashita!”, um “Muito Obrigado!”

E se você curtiu essas dicas, e ainda não leu as que já rolaram aqui no blog, não pode perder! Em cada post eu coloquei uma dica como essa, de assuntos diferenciados, tais como: que documentos você precisa, vacinas, moeda, tomada, takkyubin (correios), como funcionam as lojas, tipos de banheiro, usando o celular, a cultura da reverência, diferenciando Jinja x Shrine, cumprimentos e palavras básicas, costumes à mesa, segurança e como funciona o trem-bala. Veja todas as dicas!

Dados da Viagem dos Tsuge’s em Yokohama

yokohama - obaachan

Yokohama é um destino coringa. Dá pra fazer em 1 dia, mas se quiser conhecer a Chinatown e o Sankeien Garden, 2 dias serão necessários, já que são passeios que demandam tempo. Além disso, é possível gastar um tempo também em compras, que valem muito a pena. Você não precisa ver hospedagem específica em Yokohama, já que dá pra fazer bate e volta de Tóquio e arredores. Alguns dados relevantes de Yokohama:

  • 2 dias : 19 e 20/08/2013, bate e volta de Saitama
  • Cotação da época: USD 1 = R$ 2,26 = ¥ 94,23

Locais visitados em Yokohama

Eu cheguei no Japão no dia 18/08, já no meio da tarde. A única coisa que eu fiz foi aprender a comprar tíquete de trem e lanchar com Obaachan. Depois a irmã dela, tia Nair, quis nos levar pra um Kaiten Sushi (aqueles restaurantes japoneses de esteirinha). Em seguida, fui para casa de Obaachan, desfazer as malas e me preparar para a Jornada de aventuras pelo Japão.

Primeiro dia destinado apenas ao turismo no Japão… partiu Yokohama! Peeeera aí, não antes de me esbaldar nas lojas de eletrônicos de Akihabara em busca de uma câmera BBB (boa, bonita e barata!)

akihabara - yosobashi akiba

E foi lá, numa das maiores lojas de Akihabara, o bairro dos eletrônicos de Tóquio, a Yodobashi Akiba, que comprei minha câmera. Uma Nikkon P520 (super zoom), a grande responsável por todas essas fotos incríveis, das viagens que vocês vêm acompanhando.

Saindo de Akiba, pego o metrô e, agora sim, rumo a Yokohama! 45 minutos depois chego ao meu destino.

O bom do Japão são os mapas na saída de cada estação, eles basicamente te guiam pra qualquer ponto turístico da região, sem você precisar de mais nada. Então, fui andando até Chinatown, em busca de comprinhas (estilo Saara) e comidinhas gostosas.

yokohama - chinatown entrada

E é uma coisa meio de louco mesmo, aquele ambiente multi colorido, com um milhão de lojas vendendo de tudo que você pode imaginar (até armas ninjas!). Não podia faltar, é claro, um noodle no cardápio de almoço, né?!

yokohama - chinatown arma ninja
yokohama - noodle curiosidade

Depois de andar perdida na gigante Chinatown de Yokohama, encontrei um templo nos moldes chineses. Pausa pra admirar tamanha riqueza de detalhes e cores.

yokohama - chinatown templo

Anda pra lá, anda pra cá, acabei saindo no Osanbashi Pier. A zona portuária de Yokohama que ficou bem famosa no final do Período Edo, quando o Japão encerrou o período de auto-isolamento, se tornando a principal porta de entrada para as tendências estrangeiras.

É um ótimo local para estender uma canga, sentar num banquinho ou até mesmo na grama e sentir a paz, a tranquilidade e o vento fresco.

yokohama - osanbashi pier

Logo ao lado, tem um parque muito lindo, que é o Yamashita Park! Com diversas flores (tem plaquinha e tudo falando sobre cada espécie), esculturas ao longo do parque, área de descanso… o parque oferece mais um ambiente para se ter um momento de contemplação. Nesses lugares, eu gosto de fazer uma pausa para escrever no meu ‘diário de bordo’ ou até mesmo, fazer um lanche e descansar as pernas!

yokohama - yamashita park estatuas
yokohama - yamashita park bicicletario

Andando pelo Yamashita, logo cheguei no Marine Tower. Um prédio comercial que tem um mirante lá no topo (não se compara a altura do Tokyo Skytree). À 94 mt de altura, o deck de observação oferece a imagem de um lindo pôr-do-sol e vista de 360º da cidade e do porto de Yokohama.

yokohama - marine tower sol
yokohama - yamashita park vista do marine tower

Saindo de lá fui para o Lámen Museum ou Rámen Museum. Siiim, Rámem com R!

Curiosidades à parte: você sabia que o japonês tem dificuldade de pronunciar a letra L!? Isso porque o fonema \'L\' não existe no alfabeto deles. Então palavras com L, eles lêem como \'R\'. Ex.: ramen = lámen, McDonarudo = McDonald’s, toire = toillet, arô = alô, e por aí vai. E, é por esse motivo, que é tão difícil entender o inglês deles. Depois que você descobre que todo L vira R, fica bem mais fácil né?!
Agora a pergunta de ouro é: se japonês não consegue falar L, porque Obaachan, colocou o nome da minha mãe de MILENE?! Na verdade, quem sugeriu o nome foi a enfermeira que acompanhou o parto. Hahhahaha! Pra quem conhece, já ouviu que ela chama minha mãe de MiRene! Rs.

 

O museu do Lámen traz a história dessa comida, que é tão tradicional no Japão. De origem chinesa, o lámen é um dos pratos mais comuns por lá. Tão comum quanto o arroz! Além de aprender sobre como fazer e como eram feitos os lámens no passado, tem tantos restaurantes de lámen, que acabei escolhendo no uni-duni-tê! Assim, fui parar no Ikemen (que significa “homem bonito”). E o grande barato desse restaurante é que eles adaptaram vários quadros e nomes de pratos, baseados em filmes ou músicas conhecidas! Ex.: “This is it” do Michael Jackson deu origem ao quadro com o título “This is Ramen” e o filme Jurassic Park, foi inspiração pro prato de lámen com carne de porco, que foi intitulado “Jurassic Pork”…

yokohama - ramen museum
yokohama - ramen museum ikemen

Saí um pouco tarde do Lámen Museum e fui correndo pegar o último trem para casa. E acontece mais um fato estranho! Mais um! As pessoas em Yokohama não atravessam o sinal, se não estiver com sinal verde para o pedestre, MESMO SE NÃO TIVER CARRO NENHUM NA RUA! Whaaat?! Geral parado esperando o sinal abrir e nem um carro passando?! Cara, que vontade que eu tive de atravessar, mas tinha plena certeza que todos iam achar um absurdo se eu fizesse isso! E o raio do sinal não abria por nada, o tempo passando e eu correndo o risco de perder o último trem para casa. Fiquei lá, aflita, esperando o sinal verde! Até que pliiim, saí correndo pra estação! No mínimo, devem ter me achado com cara de turista louca, correndo no meio da noite!

O dia seguinte raiou e a missão era conseguir chegar no Sankeien Garden. Digo que era missão, porque a coisa que eu mais tive dificuldade no Japão, foi andar de ônibus. Diferentemente das estações de trem/metrô, nem todos os ônibus tem painel com o nome dos locais, em inglês. Então, a chance de me perder era bem grande. Já que não era tão longe assim da estação, resolvi ir andando.

Ando pra lá, ando pra cá e não vejo nem sinal do tal jardim. E pra que né?! Me perdi a pé! Risos! A sorte é que esbarrei com 3 moças que estavam correndo e que, gentilmente, me levaram até o jardim! (japonesas simpáticas S2).

Passei muuuuuito tempo nesse jardim. Ele possui lagos, jardim, casas de chá, rios, trilhas e edifícios históricos que vêm de todo o Japão. A sensação que dá, é que você está em Quioto ao invés de Yokohama. O jardim foi construído pelo Hara Sankei e foi aberto ao público em 1904.

Lá tem uma lojinha, que vende lembrancinhas e inclusive fazem apresentação da cerimônia do Chá! Infelizmente, a cerimônia era no período da tarde e não fiquei lá esperando para ver a apresentação. Eu queria voltar pra região do Minato Mirai, no centro de Yokohama.

yokohama - seikeien garden cerimônia de chá

E pra sair de lá, novamente me perdi! Hahaha! Ô lugarzinho difícil hein!? Minha sorte é que tinham outras duas japinhas que também estavam saindo de lá e me ajudaram a ir pro centro de Yokohama! Elas me acompanharam até o Mitsubishi Museum. O mais incrível de tudo, é como eles estão dispostos a sair do percurso deles para te ajudar! Fascinante!

O Mitsubishi M.I. Museumm tem diversas exposições sobre a tecnologia já desenvolvida e os estudos em andamento da Mitsubishi. E de cara, você se sente num mundo high tech, quando você é recepcionado por esse robozinho amarelo que conversa com você e responde perguntas básicas, como “qual o seu nome?”. Além das exposições, têm algumas atividades onde que você brinca de mecânico, astronauta, motorista… Bem divertido!

yokohama - mitsubishi museum robo
yokohama - mitsubishi museum

De lá, fui fazer comprinhas no Red Brick Warehouse. É um conjunto de prédios similares à atual zona portuária do RJ, que virou um complexo de lojas e restaurantes. São diversos estandes com um estilo meio feudal, portas de ferro, paredes de tijolo aparente, tudo bem rústico! Comprei muuuita lembrancinha lá. Por mais que não fosse o lugar mais barato do mundo, já que é ponto turístico, tinha bastante produto artesanal, made in japan!

yokohama - red brick warehouse

E pra fechar com chave de ouro e espírito infantil, fui pro Cosmo World, um parque de diversões! Muitas brincadeiras como casa do espelho, montanha russa (que “mergulha” na água), roda gigante, tiro ao alvo. E o melhor, é que você só paga o brinquedo que você vai. A entrada pro parque é gratuita!

Fim do dia, mais um belo pôr do sol visto de dentro da roda gigante, hora de voltar pra casa da Obaachan e descansar, porque isso era só o começo! Depois de me ambientar um pouco ao Japão, conhecendo Yokohama, fui para Nikko conhecer seus templos e santuários! A Terra dos 3 macacos sábios.

Dia 1 em Yokohama: Chinatown > Osanbashi Pier > Yamashita Park > Marine Tower > Rámen Museum

Dia 2 em Yokohama: Sankeien Garden > Mitsubishi Museum > Red Brick Warehouse > Cosmo World

Quanto foi gasto?

yokohama - seikeien garden carteiras

Para os 2 dias que fiquei em Yokohama, o total gasto foi R$1.021,64, mas calma! Não se assuste! Eu aproveitei para comprar equipamentos para minha câmera e também foi onde comprei a maioria das lembrancinhas pra familiares e amigos:

  • Alimentação: R$ 117,75
  • Passeios (entradas em museus, templos, jardins, …): R$ 89,56
  • Compras (lembrancinhas dos templos, case para câmera, memória e bateria extra): R$ 766,56
  • Transporte: R$ 47,77

Pontos turísticos: Preços, horários e dias de funcionamento

1. Jardim Sankeien
Obra prevista para acabar apenas em março de 2019
30 a 45 minutos andando da estação Negishi, da linha JR Negishi
Pegar ônibus nº 54 / 58 / 101 / 108 em frente a estação Negishi, da linha JR Negishi. Demora uns 10 min
09:00 às 17:00, entrada permitida até 30 min antes de fechar
Todos os dias , exceto de 29 a 31 de dezembro
500

2. Marine Tower
Ideal pra ir na hora do pôr do sol, tem uma vista incrível do porto de Yokohama e da cidade. Fica em frente ao Yamashita Park
10:00 às 22:30, entrada permitida até 30 min antes de fechar
Todos os dias
750

3. Red Brick Warehouse
Complexo de lojas e restaurantes. Fica na região do Minato Mirai
Ótimo para comprar lembrancinhas
10:00 às 20:00 (restaurantes ficam abertos até mais tarde)
Todos os dias
Entrada gratuita

4. Cosmo World
Parque de diversões, com diversas atrações. Tem versão kids e versão “adulta”
Destaco a montanha russa e a roda gigante, que dá pra ter outra bela vista. Evite finais de semana
11:00 às 20:00, mas o horário se estende nos finais de semana e no verão
Todos os dias, exceto a maioria das 5ªs (veja calendário)
Entrada gratuita, pagamento por brinquedo (em torno de 300 a 800 cada)

5. Chinatown
Bom lugar para compras e comida. Tem templos chineses também
Tem que experimentar o Manju (doce com recheio de feijão) e o Noodle chinês
Próximo à estação Motomachi-Chukagai, da linha Minato Mirai Line. Ou da estação Ishikawacho, da linha JR Negishi
A maioria das lojas funciona das 10:00 às 20:00
Todos os dias
Entrada gratuita, só gasta o que compra

6. Rámen Museum ou Lámen Museum
Incrivelmente um museu que fala apenas sobre… lámen!
Ideal para conhecer como o lámen, alimento original da China, se tornou tão tradicional no Japão. E é claro, comer lámen! São diversos restaurantes
11:00 às 22:00 e até 22:30 aos domingos e feriados
Todos os dias
310 (museu) + o que você for comer ou comprar

7. Yamashita Park
Parque com jardim, áreas de descanso, estátuas e uma bela vista do porto de Yokohama
Sempre aberto
Todos os dias
Entrada gratuita

8. Mitsubishi M.I. Museum
Uma exibição sobre a tecnologia da Mitsubishi com 6 temas: espaço, oceano, transporte, descobertas, meio ambiente e pesquisas tecnológicas
Tem algumas atividades interativas que você pode experimentar ou até mesmo brincar
10:00 às 17:00, entrada permitida até 30 min antes de fechar
Todos os dias , exceto 3ªs
500

9. Osanbashi Pier
Pier de Yokohama, com um bom local para caminhar e apreciar a vista. Localizado entre Minato Mirai e o Yamashita Park
15’ andando da estação Kannai, da linha JR Negishi
Sempre aberto
Todos os dias
Entrada gratuita

Conclusão: de tudo um pouco

yokohama - chinatown tsuge

Deu pra reparar que Yokohama tem uma variedade de atrações, como toda cidade grande. Jardins, parques, museus, parque de diversão, shoppings e templos.

É sempre bom começar por uma cidade grande, principalmente se você vai pra um país muito diferente. Em cidades grandes, as diferenças culturais são amenizadas por conta da globalização e adaptação daquele povo, ao mundo como um todo.

De fato, Yokohama foi um choque pra mim, em muitos costumes e aspectos. Mas foi uma boa forma de me ambientar como o Japão e o seu povo peculiar!

Eu queria ter ido no Zoorasia, mas não deu tempo, já que tive que ir em Akihabara comprar minha câmera e conseguir registrar os momentos vividos e poder compartilhá-los com vocês, agora. Troca justa né?! rs

Bom, então não se esqueça de baixar o roteiro que fiz lá, pra poder te ajudar na sua Viagem! 2020 tá aí, vai que….

>>> Clique aqui para Baixar o Roteiro de Yokohama! <<<

 

Então nos vemos em Osaka!

Até a próxima…

Fontes

Japan-guide: Yokohama
Morando no Japão: Como é a padaria no Japão
Cosmo World: calendário

Marina Tsuge

Administradora por formação, com 24 anos, descobriu na arte de escrever uma forma de compartilhar conhecimentos e incentivar mudanças.