Sanja Matsuri: o festival mais animado de Tóquio

Se você viajar para o Japão na primavera, não deixe de participar do Sanja Matsuri. Um dos maiores festivais xintoístas que acontece sempre no terceiro domingo de maio, em Tóquio, no santuário de Asakusa. Durante 3 dias acontecem desfiles onde uma centena de mikoshis – santuários portáteis – são levados e sacudidos pelas ruas no entorno do Santuário de Asakusa. Sacerdotes, gueixas, músicos, pessoas vestindo trajes do período Edo, desfilam pelas ruas, para trazer prosperidade para os moradores e comerciantes locais.

O Sanja Matsuri é para alguns, o maior festival de Tóquio. Dois milhões de pessoas visitam Asakusa durante o festival, que é uma homenagem aos 3 fundadores do Templo budista Sensōji. Conta a lenda que 2 irmãos acharam uma estátua de Bodhisattva Kannon – um ser iluminado pronto para alcançar o estado de Buda – no Rio Sumida, em 17 de Maio de 628. Um terceiro homem rico, converteu-os ao budismo e os 3 homens deixaram a imagem nesse templo. O Sensō-ji é popularmente chamado de Asakusa Kannon e é o templo mais antigo de Tóquio.

sensoji-asakusa_Viajando-para-o-Japão_Vida-de-Tsuge_VDT
buda-kannon-2919798_1920_Viajando-para-o-Japão_Vida-de-Tsuge_VDT
sanja-matsuri_151553_Viajando-para-o-Japão_Vida-de-Tsuge_VDT

Esse festival também é conhecido como Kannon Matsuri, por causa da estatueta ou Asakusa Matsuri, por causa do local ou ainda, como o festival da Yakuza, devido a participação maciça dos membros da máfia japonesa. É uma chance de admirar as tatuagens que os membros da máfia, Yakuza, exibem com orgulho. No último dia, domingo, acontece o desfile com os 3 santuários maiores, reverenciando as 3 divindades que fundaram o templo Sensō-ji.

O festival é muito animado e vigoroso, com barracas de comida e brincadeiras ao longo das vias onde a procissão passa. Outra curiosidade é que o templo foi destruído durante a Segunda Guerra Mundial e depois de reconstruído, se tornou o símbolo da recuperação nacional.

matsuri-asakusa-2418250_1920_Viajando-para-o-Japão_Vida-de-Tsuge_VDT
yakuza2_Viajando-para-o-Japão_Vida-de-Tsuge_VDT
sanja-1-festival_181231_Viajando-para-o-Japão_Vida-de-Tsuge_VDT

Mais festivais na primavera do Japão

Como falamos no post anterior, o Japão tem mais de 100 mil festivais anuais. É muuuuito festival! Mas colocando foco na história do Japão, vou falar de mais 2, que acontecem no terceiro fim de semana de Maio.

Mikuni Matsuri 2018 – 19 a 21 de maio

Todos os anos, de 19 a 21 de maio na cidade de Fukui, acontece o Mikuni Matsuri na cidade de Fukui, que foi designado como Patrimônio Cultural Popular Intangível, da cidade de Fukui, que é um ritual xintoísta no Santuário de Mikuni. Fukui fica a 510km de Tokyo, à Sudoeste.

O festival Mikuni consiste numa procissão de 6 carros alegóricos enfeitados com bonecos de guerreiros samurai de 6 metros, que passa pelas ruas de Mikuni, no distrito de Hokuriku. Os rituais do festival mostram os costumes do Período Edo, antes da separação entre Budismo e Xintoísmo. O festival tem uma história de mais de 270 anos.

O Mikuni Festival tem a participação de todas as pessoas ligadas ao Santuário Mikuni, guardiões, batedores de taiko, empregados do templo… O desfile é acompanhado de música tocada por flautas e tambores. No entorno do santuário são montadas 400 barracas de ambulantes. Vai até tarde da noite.

mikuni-m_101150_Viajando-para-o-Japão_Vida-de-Tsuge_VDT
MikuniSuishenxing_Door_Viajando-para-o-Japão_Vida-de-Tsuge_VDT

Shibuya-Kagoshima Ohara Matsuri – 19 e 20 de maio

O Ohara Matsuri é uma versão do festival de Kagoshima, que acontece em Shibuya. O festival conta com 2.500 participantes, distribuídos em 60 equipes de dança. O festival já está em sua 20ª edição. Considerado um festival de amizade entre Tóquio e Kagoshima.le é usado para promover o turismo e a cultura de Kagoshima na capital.

ohara-2-matsuri_Viajando-para-o-Japão_Vida-de-Tsuge_VDT
shibuya-ohara-matsuri_Viajando-para-o-Japão_Vida-de-Tsuge_VDT

Embora haja várias histórias sobre o motivo de ter um festival de Kagoshima em plena Shibuya, um dos motivos pode ter sido o fato que o escultor da estátua do Hachiko, aquele cão adorável que ia buscar o dono todos os dias na estação, Ando Teru, nasceu em Kagoshima. Também há a história de Togo Heihachiro, que nasceu em Kagoshima e teve um papel importante na vitória do Japão sobre a Rússia em 1905 e de cujo espírito, se encontra no Togo Shrine em Harajuku, no bairro de Shibuya.

Jornalista por formação, é curiosa e espontânea. Sua marca registrada é o sorriso. Sabe ser sargentão, mas tem os momentos "deixa a vida me levar". Muito autêntica no seu jeito de ser, é uma mãe "vida loka".