Ise: espiritualidade latente, natureza exuberante e a tradição milenar, num só lugar!

E aí caro viajante? Como anda essa aventura virtual pelo Japão, hein?! Espero que esteja curtindo viajar com os Tsuge’s. Hoje vamos falar de Ise, cidade que abriga os santuários xintoístas mais sagrados do Japão.

ise - inner shrine torii tsuge

Como falado nos últimos posts, estamos no penúltimo destino dessa viagem pelo Japão. Mas nada de ficar triste, porque não vamos parar de falar de viagem! Jamais!!! Então fica ligado no nosso sitefaceinstayoutube... ou facilite tudo e assine nossa newsletter pra receber as novidades, no conforto do seu e-mail.

Fique Atualizado!


E sobre o que vamos falar hoje?

  • Sobre Ise
  • Viagem dos Tsuge: visitando a família em Ise-shi
  • Pontos turísticos: Preços, horários e dias de funcionamento
  • Dicas e Costumes: o país dos desastres naturais, aprenda como lidar com eles - parte 2
  • Conclusão
  • Extra: Roteiro de Viagem para Ise!!! Gratuito para download!

Sobre Ise

ise - inner tsuge

Ise é uma cidade que fica no Estado de Mie, na província de Kansai. A mesma onde ficam Quioto, Nara e Osaka.

A cidade abriga o Santuário de Ise que é considerado o berço espiritual do Japão e é repleto de cenários naturais, ao longo da sua costa, de tirar o fôlego. Existem boatos de que durante o período Edo (1603-1867) cerca de 1/5 da população japonesa, foi para lá orar no Santuário de Ise, tamanho o seu poder espiritual.

Entendendo um pouquinho melhor da geografia, só para não causar confusão, existe a cidade de Ise e a Península de Ise-Shima. Essa península foi designada como Parque Nacional de Ise-Shima, por sua beleza natural e importância cultural. A península é formada por 3 cidades: Ise, Toba e Shima.

É uma área bem popular de lazer entre a população de Nagoya e Osaka. Além dos Santuários de Ise, lá você também encontra vários parques temáticos e também o cultivo de pérola. Pra quem pensa em comprar pérola verdadeira, esse é o local certo!

Além de tudo isso que citei, não poderia deixar de falar da parte mais importante, para mim, de Ise… Tem Tsuge morando lá! =D. O meu tio Yuki, irmão da mãe Japa (Milene Tsuge) mora lá, com sua família!

Dados da Viagem dos Tsuge’s em Ise

Cheguei em Ise, vindo de Nara, num trajeto que levou cerca de 2h. Logo fui recepcionada pela minha família que mora lá. A coisa mais curiosa de tudo foi meu tio falando: “Nossa! Como conseguiu chegar até aqui sozinha?! Seus primos que moram aqui no Japão, não conseguem chegar até a Estação de Akeno (estação mais próxima da casa do meu tio)”. Ele tem que buscar meus primos numa estação mais central lá de Ise! Ahhaha! Falei pra ele: “Hyperdia tio! Com esse site, vou pra qualquer lugar do Japão. Só preciso saber o nome da estação”.

Cheguei em Ise de noitinha já. Eu estava um bagaço, depois de tanto andar em Nara. Fomos comer alguma coisa e depois fiquei “hospedada” na casa do meu tio.

  • 1 dia : 30/08/2013 (noite) a 31/08/2013
  • Cotação da época: USD 1 = R$ 2,26 = ¥ 94,23
ise - jantar familia

Quanto foi gasto?

Cara, em Ise, o que foi gasto, não dá para você considerar como base para um roteiro seu. Até porque não tive gasto com hospedagem (já que fiquei na casa do meu tio) e nem de locomoção (pois como era sábado, fiquei de dondoca para lá e pra cá de carro com meu tio =P). Mas para não passar em branco, é claro que eu tive gastos:

  • Alimentação: R$ 50,42
  • Passeios (Inner Shrine e Oharaimachi são gratuitos): R$ 0
  • Compras (lembrancinhas): R$ 230,72
  • Hospedagem (casa do tio Yuki): R$ 0

Locais visitados em Ise

Cheguei em Ise no dia 30/08, já de noite. Só deu tempo de chegar, me acomodar, sair para comer algo e cama! De todos, eu só conhecia o tio Yuki, e mesmo assim, conhecia mais por falar na internet. Ele foi pro Japão em 1988 e eu não era nem projeto de gente ainda.

Lá acabei conhecendo a minha tia Patrícia, que também é brasileira e a filhinha deles dois, a pequena Amanda! Uma fofa com carinha de personagem de mangá! s2! Ela foi educada falando português e quando cheguei ela já falava um pouco de japonês também. Então volta e meia ela bagunçava tudo e falava português com japonês! Ahhahah! Crianças..

ise - familia amanda

Meu tio e eu tínhamos planejado fazer a escalada do Monte Fuji. E como ele já tinha feito isso 2 outras vezes, nada mais justo do que ele me levar pra fazer também, né?

Então decidimos que no sábado era dia de pegar leve nos passeios, não se cansar muito pra subir o Fuji-san (como é chamado no Japão), na madrugada de sábado para domingo e contemplar o nascer do sol lá do topo. Maaass, isso são cenas do próximo capítulo!

Fique Atualizado!

<

p style=\"text-align: center;\">Se você ficou curioso, não deixe de assinar nossa newsletter e receber as novidades das viagens, no conforto do seu e-mail…


Para ter um dia light, meu tio resolveu me levar no ponto turístico mais famoso do local: o Santuário de Ise. O Santuário na verdade, é um complexo de mais de 100 santuários xintoístas. Seus principais santuários são o Inner Shrine e o Outer Shrine, distantes 6km um do outro. Como o Inner Shrine é o mais famoso, fomos para lá. Ao lado dele, do lado mesmo, fica a Oharaimachi e porque não dar uma passadinha lá também?

Lembro que fazia um calor federal nesse dia! O santuário estava bem lotado, com evento rolando, já que era fim de semana.

ise - tsuge amanda

O Inner Shrine, também é conhecido como Naiku ou Kotai Jingu. Ele consagra a divindade mais venerada no xintoísmo, a Deusa do Sol (Amaterasu Omikami) e, por isso, é considerado o santuário mais sagrado do Japão.

Acredita-se que o santuário foi criado há mais de 2000 anos. Isso porque seu estilo arquitetônico nada se assemelha com a arquitetura asiática, já que foi criado antes da chegada do Budismo ao Japão. Eles se parecem mais com celeiros de arroz antigo. De 20 em 20 anos, ambos, o Inner e o Outer Shrine, bem como a Ponte Uji, são reconstruídos do zero, segundo manda a tradição Xintoísta. Foi no ano em que eu estava lá, 2013, que foi concluída a 62ª reconstrução.

ise - inner riverside

Um passeio completo pelo Inner Shrine leva de 1h a 1h30min. Você pode visitar a Ponte Uji, que possui toriis na entrada. Você pode fazer a purificação, numa espécie de fonte chamada Purification trough ou se preferir, à beira do rio Isuzugawa, utilizando sua água sagrada. Nesse rio também existem aqueles peixinhos que “comem” o pé. Ô coisa engraçada! Não sei como tem gente que relaxa com aquilo…

Continuando, você pode ir até o Kaguraden, onde se compram amuletos para proteção. Finalmente você pode ir até o Santuário Principal, que é consagrado à Deusa do Sol. Mas lá não é permitido tirar foto e ela fica no salão principal, rodeada de cercas.

Saindo do Inner Shrine, fomos para a Oharaimachi, uma rua destinada ao comércio tradicional, que fica a apenas 5 minutos do Santuário.

ise - oharaimachi familia

Foi lá que comprei uns saquês pra trazer pro Brasil e também conheci o tal do amazaquê, que parece uma batida de saquê com arroz bem cozido, mas é na verdade, amazaquê. Acabei ganhando um colar de pérolas do meu tio, já que, afinal, Ise é a terra da pérola!

De lá, seguimos de carro para Shizuoka, pegar meu primo Ryuta, para irmos ao Monte Fuji (cena do próximo capítulo). Curiosidade: meu primo, mora do lado do Monte Fuji e nunca tinha subido! Precisou eu sair do Brasil, para ele embarcar nessa aventura também! Hahaha!

ise - preparatorio fuji calorie mate

Besteirinha que compramos para comer durante a subida do Fuji - Calorie Mate é tipo uma barrinha de calorias com os nutrientes necessários para te manter com energia e Kit Kat de Chá verde!

Ps.: Pra quem não sabe, no Japão existe uma variedade infinita de sabores de Kit Kat; é praticamente um para cada região. Eu comi os de torta de morango, doce de abóbora, chá verde e wasabi. Eles tem até um mapa de kit kat por região.. rs!

Top 3: Pontos turísticos em Ise

1. Inner Shrine
Também conhecido como Naiku ou Kotai Jingu, é o Santuário Xintoísta mais sagrado do Japão.
É bom evitar os fins de semana se quiser tirar fotos do local. Mas se quiser ver eventos culturais, melhor ir num fim de semana.
1 Ujitachichō, Ise-shi, Mie-ken 516-0023
10’ a 15’ da Estação ise-shi ou do Outer Shrine, de ônibus por ¥ 430
05:00 às 18:00 (jan a abr e set) / 05:00 às 19:00 (mai a ago) / 05:00 às 17:00 (out a dez)
Todos os dias
Entrada gratuita

ise - inner santuario

2. Outer Shrine
Também conhecido como Geku ou Toyouke Daijingu, que venera a divindade Xinto Toyouke Omikami que é guardião da alimentação, habitação e vestuário.
Na entrada do santuário fica o famoso Sengukan Museum.
279 Toyokawachō, Ise-shi, Mie-ken 516-0042
10’ andando da Estação JR de Ise-shi
05:00 às 18:00 (jan a abr e set) / 05:00 às 19:00 (mai a ago) / 05:00 às 17:00 (out a dez) / 09:00 às 16:30 (Sengukan Museum)
Todos os dias
Entrada gratuita, mas o Segukan Museum custa ¥ 300

3. Oharaimachi
É uma rua comercial com aproximadamente 1km de extensão
Bom para fazer compras e comer. Em especial saquê e pérolas!
48 Ujinakanokirichō, Ise-shi, Mie-ken 516-0025
5’ andando do Inner Shrine
09:30 às 18:00 (abr a nov) / 089:30 às 17:00 (out a mar)
Todos os dias
Entrada gratuita, paga o que comprar

ise - oharaimachi

Para ter acesso a todas as informações necessárias pro seu roteiro de viagem, clique no link abaixo:

>>> Clique aqui para Baixar o Roteiro de Ise! <<<

 

Dicas de costumes e etiqueta no país dos desastres naturais: aprenda como lidar com eles - parte 2

ise - oharaimachi estatua

Como prometido no post sobre Kumamoto, vamos dar sequência às dicas sobre o Japão, falando sobre como reagir em situações de desastres naturais. No último artigo, falamos do que fazer diante de um terremoto, dado o ocorrido em Kumamoto.

Hoje vamos falar um pouquinho sobre Tsunamis e Tufões.

Tsunamis

Os tsunamis são ondas geradas por deslocamento de grande volume de água. São também conhecidos como maremoto, e ocorrem com maior frequência no Oceano Pacífico. Podem ser gerados por sismos, erupções vulcânicas, explosões submarinas (como artefatos nucleares lançados no mar), deslizamentos de terra e outros movimentos que podem gerar distúrbios nas águas.

Duas dicas podem ser cruciais para perceber a vinda de um tsunami:

  1. Se o mar recuar muito é um sinal de possibilidade de tsunami.
  2. Fique atento aos animais! A maioria dos animais percebe esses desastres naturais quando chegam. As aves, costumam sair em “debandada” nos casos de tsunamis.

Não é o caso do Japão, mas na Tailândia, em 2004, teve aquele tsunami que devastou boa parte do sul da Ásia, incluindo a Ilha de Phi Phi (que fica no sul da Tailândia e virou até o filme “O Impossível”, com Ewan McGregor e Naomi Watts). Nessa época, alguns dias antes da grande onda chegar, os elefantes em Chiang Mai (norte da Tailândia) correram para o topo das montanhas e ficaram bem ariscos. Os seus cuidadores só foram entender o motivo dias depois, quando o tsunami aconteceu. Isso porque os elefantes tem uma sensibilidade muito grande nas suas patas. Então na dúvida, observe a natureza.

Mas o Japão, desenvolvido como só, possui um sistema de alarmes para avisar a população da chegada de tsunamis. Assim, ocorre a evacuação da região, se a magnitude do tremor causar onda que possa invadir o continente. Além dos alarmes, existe também, a construção de um paredão de 12,5mt de altura na orla noroeste de todo o Japão: a polêmica “Grande Muralha do Japão”.

E atenção! Não subestime o poder da natureza! Parece que a onda vem devagar, mas ela chega com extrema velocidade. É recomendável que você fuja para um lugar alto, como uma montanha, ou edifício de concreto com mais de 4 andares.

Fugir de carro é uma das piores opções, pois se corre o risco das ruas estarem bloqueadas ou congestionadas, e você vai ficar à deriva. A última dica especial para a sua ida ao Japão é: pesquise sobre a previsão de terremoto e/ou tsunami. Eles são publicados por alguns municípios através de um mapa chamado Bosai Chizu ou Hazard Map.

Tufões

Somente a termo de curiosidade vamos entender o que é um tufão:

“Tufão é um fenômeno meteorológico caracterizado por um ciclone tropical que ocorre nos mares orientais, normalmente nos mares da China e no oceano Índico. Os tufões possuem um enorme poder de destruição, com rajadas de ventos que podem chegar aos 360 quilômetros por hora.”

Site: Significados

Assim sendo, cabe diferenciar:

  • Tufão: é um ciclone (redemoinhos que giram em torno de um núcleo de baixa pressão atmosférica) que ocorre no Oceano Pacífico Noroeste, no sul da Ásia e na parte ocidental do oceano Índico;
  • Furacão: é um ciclone que se forma no Oceano Atlântico Norte, Oceano Pacífico Nordeste e no Oceano Pacífico Sul.

E vamos ao que importa, certo!? Como se proteger de um tufão:

  • Volte para casa/hostel/hotel o mais rápido possível e procure saber onde estão seus familiares/acompanhantes, caso não estejam com você;
  • Se estiver em local aberto e/ou perigoso, procure o abrigo mais próximo;
  • Tenha, à mão, lanterna e celular, caso falte luz;
  • Procure prender/fixar objetos que podem tombar ou ser levados pelos ventos;
  • Se estiver passando uma temporada no Japão, estoque alimentos e água para, pelo menos, 3 dias;
  • Deixe preparada uma mochila com seus pertences mais importantes e documentos, para um caso de evacuação;
  • Reforce as portas corrediças e janelas e proteja os vidros;
  • Retire tudo das área abertas, como quintal ou varanda;
  • Se estiver em uma região montanhosa, fique atento aos deslizamentos de terra.

Todo cuidado é importante. Talvez, nós brasileiros, não damos tanta importância a informações como essas, por não estarmos acostumados com situações desse tipo no nosso cotidiano. Afinal, somos muito sortudos!

Ficam aqui as informações mais relevantes para que você possa se prevenir, caso presencie alguma catástrofe dessa, certo!? A melhor forma de sobreviver à isso, é a prevenção e o preparo! ; )


Se você está gostando dessas dicas sobre como se comportar em caso de desastre natural, compartilhe com seus amigos para que eles também aprendam…


Aproveite e veja todas as dicas de costumes e tradições que já demos aqui no Blog, sobre o Japão!

Conclusão

Tá certo que não conheci quase nada de Ise. Mas conheci minha família! O que mais importa né!? Até porque fui nos principais pontos turísticos da cidade. E de quebra, ainda me levaram na incrível escalada do Monte Fuji..

Então, deixo para vocês a expectativa pelo próximo capítulo, a tão sonhada subida ao Monte Fuji. E se tu tá achando que é mole… não perde por esperar! Próxima parada: Monte Fuji!!!

Ise Oharaimachi sorvete de abóbora

Marina Tsuge

Administradora por formação, com 24 anos, descobriu na arte de escrever uma forma de compartilhar conhecimentos e incentivar mudanças.